sábado, 23 de setembro de 2017

IT, A Coisa (2017)





Na ausência de roteiros originais, os produtores optam por remakes de filmes antigos. Esse é o caso. IT é o remake do filme de 1990 - comparando os traillers de 1990 e 2017, são praticamente idênticos. Naquela ocasião, não assisti o filme, mas me recordo da paródia deliciosa que o programa TV Pirata fez.

Nesse filme, sinceramente, não me gerou nenhuma aflição, porquê eu não tenho fobia de palhaços e, nem tão pouco, elenco infantil me agrada para gêneros de suspense e terror - acho a performance bobona, fake. Mas, como todo clássico, vale à pena assistir para matar curiosidade e passatempo.

Mas, o filme é bom?!!! Como diria o meu sobrinho: Não é o filme que me faria ir a cinema assistir outra vez.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Segunda Chance by Johnny Hooker





Pois é, não deu
Quis me culpar pelo desejo teu
Vai ver fui eu
Quis esperar pelo momento do adeus

Me profanou, me incendiou, pediu a Deus
Com toda força que o meu corpo fosse teu
Me consolou, justificou, disse: sou teu!
Me carregou nos braços
E então se escondeu

Por trás de outro rapaz
De outro romance
Matando a falta de amor
Com mais um amante

Pra você restou a vida que escolheu
Mas pra mim, só a voz que Deus me deu
E Deus me deu...

Para você, sua "Alma Sebosa" (by Johnny Hooker)





(...) Acha que a sua indiferença vai acabar comigo?
Eu sobrevivo, eu sobrevivo
Você não presta, ninguém é seu amigo
A solidão vai vai ser o seu castigo

Alma sebosa!!!

sábado, 16 de setembro de 2017

Modéstia parte, eu tirava de letra





Na moral, não é todo mundo que têm inteligência e estrutura emocional necessárias para lidar com relacionamentos com diferença de idade, seja em qual extremidade você esteja. Em algum momento, inevitavelmente surgirá o choque de gerações, porém, o "X" da questão não é esse, mas é como as partes envolvidas lidarão com os conflitos e as diferenças de maturidade.

É comum a galera mais velha, supostamente mais experiente, mais madura, subestimar os mais novos, ao certo tem o seu fundamento, muito embora as exceções também existam - graças à Deus!!! Quantos cabras véi não caíram nos encantos e na suposta inocência das ninfetinhas?!!! Oops, é muito mais frequente do que se pode imaginar e se tenha coragem de admitir. Várias lolitas e lolitos tem a astúcia necessária para os colocarem no bolso e os tontos nem se dão conta disso.

O resgate da juventude e da vitalidade do outro ou a sensação de experimentar isso é sedutora, é o toque de midas, é a luz que atrai as mariposas. Por isso que os mais novos são tão atrativos perante aos olhares maduros. Mas, toda convivência é difícil e, principalmente, se não souber lidar com idades e experiências de vida diferentes, porquê lidar com gente imatura, independente da idade, não é nada agradável e cansa.

Nesse caso específico, mais do que um modismo ou uma curiosidade ou $egunda$ intençõe$, todas as minhas relações afetivas tinham a diferença de idade como característica fundamental, porquê faz o meu estilo, me identifico - é algo que sempre esteve presente na minha vida, em diferentes áreas e contextos. Modéstia parte, eu tirava de letra, apesar da maioria das vezes eu fosse aprendiz, o mais novo do casal - o que para mim era mais cômodo e preferível. Não tenho o menor talento para ser mestre, dá muito trabalho.

Identidade Paranormal (Shelter, 2010)





Sempre quando um evento ou fenômeno foge da nossa compreensão, nós precisamos de uma justificativa lógica para explicá-lo, mas, nem sempre isso é possível, porquê existem mais mistérios entre o céu e a terra que supõem a nossa vã e limitada filosofia. Sem mencionar a complexidade da nossa psique e os mistérios do cérebro humano.

Esse filme transita entre os universos da psiquiatria e da paranormalidade e o ocultismo, deixando esse suspense intrigante e fodasticamente interessante. A excelência atoral de Julianne Moore dá um plus a mais dentro da história. Vale à pena assistir, fica à dica.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Pray for London, Attack to subway





WTF?!!! 

OMG, not more terrorist attack in nowhere!!! Where a stupidity of humanity will go?!!! 

Guys, please, lets go valorite the life, the our planet. More love, stop violence. More peace & respect, stop terrorism. Give a support for who need, erase the suffer and pain of someone. 

#PrayforLondon

#PrayforWorld

#PrayforEveryone

Perro Fiel by Shakira feat Nicky Jam





(...) Tú me confundes, no sé qué hacer
Yo lo que quiero es pasarla bien
Yo tengo miedo de que me guste
Y que vaya a enloquecer
Si eso pasa yo seguiré
Contigo aquí como un perro fiel
Yo tengo miedo de que me guste
Y que vaya a enloquecer...

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Relações sem "pesos mortos"





Afetivamente falando, eu já vivenciei tantas experiências e diferentes tipos de relacionamento, de platônicos à reais, de virtuais à longas distâncias, que se caso eu viesse a iniciar uma nova relação, logo de cara excluiria alguns "pesos mortos" que podem estar inclusos no pacote, que interferem diretamente na relação, sobretudo se a convivência estiver bem próxima: "ex", sogra & família, distância e virtualidade.

Se for para ter ex-namorados gravitando ao nosso redor, que eles atuem como eu: Ignorem, não busquem e nem infernizem, admitam, reconheçam e superem que os seus relacionamentos anteriores acabaram, "game over" para vocês. Se na ausência de bom senso e na presença das más intenções, rinchas e competições, avisem-me logo, eu não estou disposto e nem interessado em me digladiar por ninguém. Saiu de cena em prol da minha paz e tranquilidade, pois não vale à pena trocar essa conquista por nada e ninguém.

Como eu não interfiro na relação de ninguém, eu não admito que interfiram na minha, logo,
-  "Hei, você, vá resolver a sua vida, vá resolver as suas pendências anteriores antes de tentar me involucrar no seu universo. Quando você resolver a sua vida e, se eu ainda estiver disponível e interessado em você, você me procura. Se não, seja feliz."


Se juntamente com você vier combo familiar, passo. Ninguém merece uma sogra "falsiane", plantando a semente da discórdia e infernizando a minha vida, e, muito menos, a família pentelhando também. Sou super afavor da orfandade  ou da distância familiar. Gosto de quem tem a sua vida à parte, tenha independência familiar. Já tive experiências desgastantes por isso.

Do mesmo jeito que a minha família permanece à parte, porquê eu não devo explicações, logo,
- "A reciproca também é verdadeira, entendeu?!!!"


Quanto aos relacionamentos à distância & virtuais, eu já passei dessa fase e não tenho mais paciência e interesse para vivenciar novamente essas experiências. Não me representa mais. Coragem!!!


Enfim, quando eu penso em me relacionar de novo, eu acho fundamental me despir desses arquétipos e eliminar esses "pesos mortos" das minhas costas e dos meus namoros. Se não for assim, não dá. Meu castelo, minhas regras e não abro mão delas. Simples assim. 

Liberdade, independência e autonomia.

Diante de ataques e ameaças verbais e discursos pobres de conteúdo, passo!!!





O brasileiro se acha muito "descolado" até o dia em que se depara com o primeiro tabu: Diversidade sexual, nudez, diferenças socioculturais, fanatismo religioso, bipolaridade política, outras divergências ideológicas, enfim tudo que gera conflito entre os homens e os seus nichos. Tudo o que foge da sua compreensão e está fora do alcance do seu campo limitado de visão, automaticamente se torna alvo de ameaça, rechaço, medo, preconceito, aparthaid, marginalização, intolerância e eventos de violência.

Como construir um ambiente propício e edificante para o debate e o exercício da reflexão crítica, se as partes envolvidas blindam-se a partir de uma postura limitada, ignorante e intolerante?!!! Ao invés de estarem abertos e dispostos ao confronto e as discussões de ideias, a partir de um discurso objetivo, civilizado e bem fundamentado, a arena de debates se converte automaticamente em ringue, onde há troca de farpas, insultos e calúnias, incitação do discurso do ódio e imposição unilateral de ideias de quem supostamente sabe mais, sendo o dono da verdade, e quem dá a última palavra. Como manter um diálogo maduro, franco e aberto?!!!

Nesse contexto sórdido, desrespeitoso e anti-democrático, onde não há espaço para o diálogo e a construção de um pensamento crítico-reflexivo, é quase impossível estabelecer uma discussão e um debate transformador. Tudo se resume ao jogo de ataque e defesa, entre réplicas e tréplicas intermináveis, baseadas num discurso tradicional, arcaico, provinciano e preconceituoso. É tanta ideia absurda e ultrapassada, baseada em argumentações frágeis e sem profundidade, que manter o diálogo aberto para quem não está nem sequer disposto à escutar e reflexionar sobre o novo e um outro olhar diferenciado, que determinados monólogos ideológicos são completamente cansativos, desestimulantes e indignantes.

Assim, entre perder o meu precioso tempo jogando palavras e ideias ao vento, desgastando-me intelecto e emocionalmente, tentando dialogar e debater com a outra parte intolerante e inflexível, que está apenas interessada em ter razão, me recuso à expandir o meu ponto de vista baseado em preconceitos, ideias retrógradas e fundamentadas apenas em "achismos", senso comum impregnado de equívocos e imposição dos seus próprios interesses. 

Numa ausência de metodologia e problematização, me proponho escutar a ideia e a argumentação alheia, mesmo sendo oposta à minha, filtrando a informação e analisando se o seu conteúdo é viável e aproveitável para a discussão e a construção do conhecimento. Portanto, diante de ataques e ameaças verbais e discursos pobres de conteúdo, passo!!!

"As lágrimas não reparam os erros!!!"

The Verve - Bitter Sweet Symphony (with lyrics)

♫ Pitty - Na sua estante

"Eu não ficaria bem na sua estante..."