domingo, 29 de maio de 2016

Cuidar não é superproteger





Quem ama, cuida. Algo inquestionável e nem entremos no mérito dessa questão, pois o instinto de proteção é inerente à qualquer espécie animal, incluindo a nossa. Porém, o culto à super proteção, deforma. Deixando as pessoas sem iniciativa, acomodadas, desencorajadas, emocionalmente frágeis e dependentes, sem perspectiva e inseguras para enfrentar os seus próprios problemas e um furacão chamado vida.

Poupar, poupar, poupar... poupar...  e poupar. Que classe de persona é essa criada numa redoma de vidro que precisa ser poupada de tudo e de todos?!!! A superproteção extremada a paralisa diante das primeiras dificuldades que apareçam em sua frente. Sem dúvida, deixando-a despreparada para enfrentar a vida - Dona Vida pode ser cruel e passar por cima de você como um trator.   

Também se cresce e se fortalece diante da dor. Alguns sofrimentos são necessários e, por mais que se queira, não dá para evitá-los. Faz parte do nosso processo de aprendizagem e amadurecimento, apesar de ser à custa de lágrimas e dores. É preciso estar preparado para enfrentar tudo o que se possa apresentar, cada uma em sua fase e em seu momento. Quem foge dos problemas, acaba sendo engolidos por eles.

Nesse sentido, cuidar não se limita ao ato de superproteger, mas orientar, respaldar, apoiar, estender à mão ou quiçá dar um colo quando se for necessário. Não é criando um incapaz que o fará mais forte e feliz para enfrentar as vivissitudes da vida.

2 comentários:

Gabriel Godk disse...

Faço das suas as minhas palavras!

Dan... disse...

Muito bem, muito bem!!!


"As lágrimas não reparam os erros!!!"

The Verve - Bitter Sweet Symphony (with lyrics)

♫ Pitty - Na sua estante

"Eu não ficaria bem na sua estante..."