quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Wrong turn 5, O filme




Aproveitando o clima de halloween e o recente lançamento do Wrong Turn 5 (Pânico na Floresta) em vídeo, nada mais apropriado do que deixar essa dica para quem gosta do gênero de suspense/terror. Embora, esse filme não seja a continuação do filme anterior, Wrong Turn, A Origem, conseguiu apresentar um bom nível de suspense, muito embora, eu ainda continue preferindo o I e o IV. 

E a música tema é Mercy, interpretada por The Blackout City Kids.


E por falar em Halloween...


BOOoooooOOOO!!!  


Happy Hallo!!!



Para evitar maiores confusões, esse ano eu também resolvi adotar a mesma tática dos 4 anos atrás: Não causar!!! Preferi ficar ausente das comemorações e ficar entretido com os meus vampiros, lobisomens, híbridos, zumbis, ghosts e seriais killers e as minhas bruxas e feras da ficção.  Assim, eu me divirto e evito efeitos colaterais!!! HAHAHAHAHAHA!!!

Brincadeiras à parte, um delicioso Dia das Bruxas repleto de muita magia e superstições!!! ;)




Momento Dexter: Algumas citações




Aqui e ali, seja em obras literárias ou filmes e seriados de tv, sempre nos identificamos como alguma referência. Assistindo Dexter, me identifiquei com os seguintes diálogos:



1. 


- "Porquê?!!!"

- "Eu tenho critérios!!!" 


(Dexter, S1E01)



2.


"A vida não tem segredos apenas verdades escondidas sob a superfície!!!"


(Dexter, S1E02)



3.


"A incapacidade de não sentir tem as suas vantagens!!!"

(Dexter, S1E05)



4.


"Tudo se resume a simples matemática: Um relacionamento realmente belo é algo único na vida - E eu já tive o meu".

(Dexter, S2E04)



5.


"Há uma selva lá fora..."

(Dexter, S3E03)



6.


"A morte será a misericórdia, Dexter... Sem mais dor, sem mais quimioterapia, apenas ... PAZ!!!"

(Dexter, S3E07)




7.


"A liberdade tem um custo!!!"

(Dexter, S7E03)



terça-feira, 30 de outubro de 2012

Colocando os seriados em dia...






Nessa última semana que passou, eu me afastei de tudo (ao que se refere ao mundo virtual) para colocar os meus seriados em dia: Dexter (7ª temp), The walking dead (3ª temp), Arrow (1ª temp), The beauty and beast (1ª temp) e The vampire diaries (4ª temp).   Esse afastamento foi necessário e valeu a pena, enfim, estou com todos os meus episódios em dia. 

Apesar de todo o conteúdo sobrenatural e antinatural que perpassa todos esses seriados de tv, muitas reflexões sugeridas foram feitas, sobretudo em Dexter - dando uma outra ótica a partir do olhar psicopata. Eu havia deixado de acompanhá-lo, mas, por incentivo da minha sobrinha, eu resolvi voltar a assistir. 

sábado, 27 de outubro de 2012

Rendido a beleza...





"And lo, the beast looked upon the face of beauty. 
And it stayed its hand from killing. 
And from that day, it was as one dead." 

(King Kong, 2005)



Eis que a fera se rende a beleza e, ..., torna-se irremediavelmente letal.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Foco: Não percas a sua lua!!!




No posarse suya luna, mirando otras estrellas!!!  

Não é que eu esteja frágil hoje...




Os anos vão se passando e vai surgindo em mim a sensação de que o meu tempo está se esgotando: Oportunidades que poderiam estar sendo vividas agora ou de algum tempo atrás não muito remoto e nem distante, inerentes do presente, de repente podem não acontecer mais na frente. Cada época tem a sua etapa, o seu acontecimento específico e, ..., tem algumas situações que eu ainda não vivi - talvez, não da forma como eu gostaria de tê-las e vivê-las. Essa sensação é tão angustiante!!! Ora vem, ora vai, às vezes com muita intensidade, outras essa tensão se dissipa. 

Talvez seja um desejo de experimentar outras sensações que eu ainda não senti, diferenciando de tudo o que já foi vivido até então. Outros gostos, outros sentidos, outras perspectivas. Eu acho que eu estou precisando ser feliz, voltar a experimentar e saborear as pequenas felicidades do dia-a-dia, aquelas que a gente não percebe ou deixa passar porquê estamos preocupados de mais com a mega-felicidade, tal e qual idealizamos. 

Se eu estou sentindo saudades do que eu ainda não vivi (das sensações que eu não senti, das emoções que eu não desfrutei, dos planos que eu ainda não realizei, ...), em parte eu tenho a tranquilidade de reconhecer que nem tudo depende da minha vontade e da minha ação. Não dá para ter tudo e nem abraçar o mundo todo de uma vez. Quem sabe, partes dele. Eu sei até  onde eu deixei de fazer, do passo que não foi dado, da falta de vontade de realizar, das vezes em que eu me acomodei. Tem momentos em que a gente prefere ficar na zona de conforto, mas também, nem em todas as guerras e batalhas saímos vencedores. Faz parte da vida ganhar e perder. 

O que eu deixei de fazer é o que menos importa nesse instante, porquê se fosse o caso, é só fazer o que deixou de ser feito. Porém, e o que não depende da gente?!!! Isso sim, é um desfalque e um atraso de tempo, de vida e de realizações. Como realizar algum projeto se não depende da nossa vontade?!!! Depender de outra pessoa, independente de qualquer situação que seja, é sempre um risco, uma frustração, uma não realização.

Quem disse que viver e crescer é fácil?!!! Não é. Nunca será, mesmo contrariando o discurso dos mais altruístas. Se livro de autoajuda fosse mesmo eficaz,  todas as mazelas seriam curadas. Mas, quem disse que todas as mazelas tem cura?!!! Que todos os problemas tem solução?!!! Cada um alimente a ilusão que quiser e melhor lhe anestesiar. 

Não é que eu esteja frágil hoje, eu apenas estava evitando de escrever essa sensação, adiando essa reflexão!!!
   

domingo, 21 de outubro de 2012

Passageiros, O filme




Tudo o que foge da nossa vã filosofia e o que os nossos olhos não conseguem enxergar temos como surreal, absurdo. Não é todo mundo que crê em experiências de quase-morte ou pós-morte, mas, é sempre uma possibilidade intrigante que paira no ar. Será que só existe mesmo "realidade" nesse plano?!!! Será que só existe essa dimensão?!!! E o intangível não se conta?!!!

Enfim, esse filme retrata bem dessas questões, apresentando o que aconteceu com um  grupo de passageiros que sofreu um acidente de avião. O desfecho do filme é o ponto alto e bastante  surpreendente. Fica a dica!!! 

Sem mencionar que Anne Hathaway é sempre uma gracinha de ser vista.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Com que letra eu vou by Fernanda Mello




Se não deu certo

Apague e recomece
Esqueça o que ficou
Esqueça a culpa
A falta de plano
Esqueça a dúvida
O que foi quase engano

Apague e recomece

É sempre hora de mudar
De virar a página
E se reinventar

Mesmo que doa, 
Aprender não é um processo à toa.

Quem sabe, quem sabe se...





Quem sabe se não está ali: virando a rua, na esquina, morando em frente a sua casa, em sala de aula, no escritório, ..., 

Ou já passou e você não viu ou deixou passar...

Ou ainda estar por vir?!!!

Fernanda, concordo: Não há nada mais contestador!!!




"Não há nada mais contestador do que amar uma pessoa só!!!" 

(Fernanda Mello)

A mulher de preto, O filme




Para quem gosta de filme de terror e suspense, eu deixo essa dica: A mulher de preto tem o mesmo estilo sobrenatural dos filmes O Chamado, O Grito e Água escura, apresentando o ator Daniel Radcliffe numa atuação mais adulta, adaptando-se bem ao enredo de filme - bem mais intrigante. 

Embora, o começo do filme seja um pouco enfadonho, o desfecho vale a pena.  

Arrow & Beauty and the Beast




Nesse mês de outubro estrearam novos seriados: Arrow, baseado no super-herói Arqueiro Verde, e o Beauty and the beast, baseado no seriado dos anos 80/90, a bela e a fera.  Os episódios pilotos da primeira temporada de ambos os seriados já se encontram disponíveis na internet para download e assisti-los online - Oficialmente, o Arrow passa as 4ªs-feiras, abordando o regresso do playboy Oliver Queen (protagonizado por Stephan Amell) após 5 anos de um naufrágio para justiçar o seu pai, e o Beauty and the beast ás 5ªs, retratando o clássico romance entre Catherine e Vicent (protagonizados pelo casal Jay Ryan e Kristin Kreuk),já demonstrando que a química entre eles funciona. 

Os dois seriados trazem uma pegada bem atual, passando nos dias atuais, e tendo um ritmo frenético de muita ação, tendo a violência urbana como pano de fundo. Vale a pena conferir. 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Um tanto perplexo diante dessa missiva




Assim, como quem não quer nada, nada além de uma foto que eu não encontrei, dei uma passadinha no meu falecido orkut e me deparei com esse seguinte testemunho: 



"Oi Dan, tu não sabe o quanto fico feliz em poder ter vc de novo na minha vida... toda paz, toda segurança, todo amor que sempre senti com vc, mas como vc diz, as coisas
não vão voltar a ser como eram antes, mas podem ser muito melhores e só depende de nós. Tá tudo diferente , algumas mágoas surgiram, algum tempo passou, muita bobagem foi dita, mas acredito com todo meu coração que um dia fomos amigos de verdade, e farei o que eu puder pra que possamos viver essa relação mais uma vez... Amo , e talvez bem mais do que antes... agora amo tendo noção da falta que vc me faz. Antes não queria nem pensar que ela poderia existir! Desejo a você tudo que há de melhor nesse mundo, que o melhor de mim, já é todo seu! Um forte abraço e um bom domingo para vc. L." (14.10.2012)


Hã, hum, hã... , sinceramente,  eu achei esse testemunho tão desnecessário. Aliás, deixa eu refazer: Eu achei tão exagerado, porquê, veja bem: Primeiro, eu não tinha intenção de resgatar nada e, muito menos, havia programado "voltar" para a sua vida. Como assim?!!! Como eu posso voltar para onde eu não fui?!!! No mínimo ambíguo da sua parte. Tudo bem, respeito os seus sentimentos, etc e tal, mas, os seus são bem diferentes dos meus. Segundo, agora tudo pode ser diferente, só depende de nós?!!! Sinto muito, nada pode ser diferente, porquê eu não tenha nada além de uma amizade desacreditada, trincada, quebrada para te dar. Na boa, bem na boa, eu acho que não tem nada entre nós para ser restaurado - passou, deteriorou-se.  Agora, quando você fala sobre amor, me deixa até constrangido, porquê, de fato, nem houve fatos, situações e concretizações para isso. 

Acho que você está com os seus sentimentos confusos. Só pode ser. Pelo menos, de acordo com as minhas recordações, "a nossa relação" (como você diz) não avançou tanto assim. Fica muito claro e evidente que nós temos percepções diferentes do que aconteceu. Todavia, a sua mensagem me deixou com um certo ar de perplexidade, um tanto chocado pelo conteúdo inusitado. 

Ainda em processamento...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Convicção versus Esperança





Penso que esse não é o caminho, mas, ..., 

a esperança insiste me contrariar!!!

Caro humano, você já entendeu tudo errado!!!





Você não veio aqui para ser mestre do amor incondicional. 
Que é de onde você veio e para onde você vai voltar. 

Você veio aqui para aprender o amor pessoal. Amor universal. 
Amor bagunçado. Amor suado. 
Amor louco. Amor quebrado. 
Todo amor. 
Infundido com a divindade. 

Vivido a graça de tropeço. 
Demonstrado através da beleza de bagunçar. 
Muitas vezes. Não vim aqui para ser perfeito. 
Você já está. 

Você veio aqui para ser maravilhosamente humano. 
Falho e fabuloso. 
E depois subir novamente e lembrar. 

Mas incondicional amor? 
Pare de contar essa história. 
Amor, na verdade, não precisa de nenhum outros adjetivos. 
Ele não requer modificadores. 
Ele não requer a condição de perfeição. 
Ele só pede que você apareça. 
E fazer o seu melhor. 
Que você permaneça presente e sinta totalmente. 
Que você brilhe voe e rir e chora e fere e cura e cair e voltar para cima e joga e trabalha e vive e morre como você. 
É o suficiente. 
É bastante.''

(Courtney A. Walsh)

Queridos mestres, caros alunos,





Não se esqueçam das sábias palavras desse grandioso e saudoso mestre:




"Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pai
s desejam que seus filhos sejam professores. Isso nos mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário, mas que permitimos que esses profissionais continuem sendo desvalorizados. Apesar de mal remunerados, com baixo prestígio social e responsabilizados pelo fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho.
A data é um convite para que todos, pais, alunos, sociedade, repensemos nossos papéis e nossas atitudes, pois com elas demonstramos o compromisso com a educação que queremos. Aos professores, fica o convite para que não descuidem de sua missão de educar, nem desanimem diante dos desafios, nem deixem de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda".

(Paulo Freire)









Feliz Dia dos Professores!!!

domingo, 14 de outubro de 2012

TVD: 4ª temporada já é!!!




Quinta-feira passada estreou à tão esperada 4ª temporada do The Vampire Diaries trazendo a aguardada transformação de Elena em vampira, bem mais interessante do que a cena descrita no livro.   Todavia, os produtores do seriado já deixaram mais do que explícito que continuarão contando a estória sem seguir à risca os livros - O que por si só, imprime um ritmo e uma qualidade maior aos próximos capítulos e temporadas. 

Por isso, aqueles que torcem pelo casal Stelena, preparem os seus corações, porquê provavelmente está chegando a vez de Damon dominar o pedaço (o próprio Paul Wesley em entrevista já adiantou a separação do seu personagem Stefan e Elena nessa temporada), embora a primeira transa vampírica de Elena seja com Stefan - respeitando o livro. 

Apesar do desgosto que a separação do casal provocará ao team Stelena e o delírio dos Delena,  essa ruptura será fundamental para que Elena resolva o seu conflito amoroso e como o destino dos protagonistas irão ser direcionados. Todavia, outro triângulo amoroso será melhor explorado e promete ser bem mais apimentado: Klaus-Caroline-Tyler.  

O ponto alto da estreia foi quando Elena explica para Stefan o porquê ela resolveu voltar, deixando claro que ela havia o escolhido, e quando Klaus resgata Caroline da emboscada e ela descobre que ele está no corpo de Tyler. Além do surgimento dos novos personagens que ainda estão por vir. 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

♪♫ Daniel Peixoto by Olhos Castanhos





Passa algo estranho nos meus olhos castanhos!!!

TVD, as diferenças entre o livro e o seriado de Tv: O Retorno - Almas Sombrias




Definitivamente, esse livro supera o anterior. E, sinteticamente falando, o seu primeiro capítulo consegue resumir o que de mais relevante aconteceu no livro anterior.  Bem a miúde, Elena, Damon, Meredith e Bonnie chegam na Dimensão das Trevas para recuperar as duas chaves-raposas para libertar Stefan da prisão. Enquanto isso, Matt e Sra Flowers ficam juntos em Fell's Church para tentar conter os fenômenos sobrenaturais que acometem as crianças e os jovens da cidade. 

Para resgatar Stefan, elas se infiltram na sociedade local como escravas de Damon e damas de companhia da Lady Ulma - Uma ex-aristocrata que era escrava e foi salva por Elena e a sua trupe, recuperando a sua fortuna roubada. Já infiltrados, Elena, Damon, Meredith e Bonnie conseguem o apoio incondicional de Lady Ulma e do Sage, um jovem e misterioso vampiro que está sempre acompanhado dos seus bichos de estimação (o seu cachorro Saber e  o seu falcão Taylor) e juntos vão para duas recepções locais, um sarau e um baile, buscando as chaves e tentando não despertar a atenção dos anfitriões e dos convidados.

Em ambas as ocasiões, Elena consegue encontrar e recuperar as chaves: No sarau, ela encontra a chave dentro de uma câmara escura, onde o acesso não é autorizado para os convidados do evento, no baile, próximo a escadaria de cristal, ela encontra a outra metade da chave dentro do ninho da coruja-gigante, travando-se uma fuga quase mortal contra a guardiã da chave.

Logo em seguida, ao conseguir juntar as duas chaves, assumindo a forma de um anel mágico, e lutando contra o tempo, o grupo vai direto do baile para a prisão libertar Stefan. Até então, Elena só o encontrava através de sonhos e uma única e rápida visita à prisão. Chegando lá, o grupo consegue libertar Stefan e um dos seus companheiros de cela, um misterioso homem-raposa que lhe dá esferas estelares, conseguindo escapar do ataque da coruja-gigante e regressando para o mundo real através de um "elevador". 

Chegando a pensão da Sra Flowers, o grupo em fuga (Stefan, Elena, Damon, Meredith, Bonnie, Sage e os animais) se reencontram com ela e Matt. Logo em seguida, chega o diabo Shinichi querendo as esferas estelares, criando um mistério e uma segunda intenção para elas. Qual será o seu novo plano?!!! Enfim, o livro termina com o Damon perdendo os seus poderes e se transformando em humano.     

Diferente do seriado, Caroline não é uma vampira, mas, está grávida do Tyler, de gêmeos, e, à medida em que a gestação vai se desenvolvendo, ela vai se transformando em loba também, tornando-se cada vez mais distante de Elena. E, para a quarta temporada do seriado - que estréia amanhã (11/10), surge a presença de novos personagens, dentre eles "Sage" - Uma garota esperta que se envolveu com Finn, um dos irmãos originais de Klaus - acredito eu que seja mais um personagem que fugiu completamente da obra original.     

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Parabéns, Povo Nordestino!!!




Hoje, no calendário nacional, se comemora o Dia do Nordestino. Um dia para celebrar a nossa resistência e coragem é pouco, mas, ser nordestino é lutar dia a dia, perseverando e com fé - muita fé, apesar de todas as adversidades que ainda encontramos para alcançar o desenvolvimento que merecemos, principalmente quando ainda houver uma mentalidade política tacanha.

Entretanto, dentro ou fora do Nordeste, ninguém tem o sangue nordestino a toa: Owww povo   guerreiro e arretado, tão quentes quanto ao sol, sobrando calor humano.   Alguns podem até subestimar a força dos nordestinos, mas, é um povo de grande valor. 

Feliz Dia do Nordestino para todos, sobretudo dos 9 estados do meu Brasil!!!

Aviso aos limitados




Tá complicado demais, mermão!!!




A grande verdade nua e crua dos fatos é:


Namorar está complicado demais!!! 




Se para os belos está, imagine para os reles mortais como eu?!!! rs... E, do jeito como as pessoas e as circunstâncias estão, eu não sei se eu estou preparado para tanta complicação assim, mesmo tentando descomplicar ao máximo.


Demasiadamente desconsertado



Algumas situações ainda me deixam desconsertado:

1.) A forma como o comportamento humano se volta contra si mesmo à medida em que uma atitude banal pode degradar a essência de um ser humano, tornando-o maquiavélico, fútil, vulgar e insensível ao ponto de ignorar e fazer sangrar os sentimentos alheios - Que se dane o próximo;

2.) O tratamento interpessoal está tão impessoal, que as outras pessoas são tratadas como coisas, onde o apreço a elas não está baseada no valor humano que elas têm ou nos sentimentos em que elas podem provocar, mas, vitalmente no tempo de uso que elas podem proporcionar - Se elas atendem as minhas necessidades, expectativas, interesses e ilusões, caso contrário, servem para descarte;

3.) Os sites de relacionamentos amorosos que deveriam ser uma ferramenta de encontro, em  toda a sua plenitude, estimulam cada vez mais para os desencontros, graças aos seus usuários que colaboram diretamente para isso;

4.) Grande parte dos solteiros afirmam que querem se relacionar, porém, existe uma enorme diferença do que é dito e demonstrado - Somente aqueles que tem a coragem de serem sinceros com os seus sentimentos e suas buscas, dão a cara pra bater e demonstram para o que vieram de fato;

5.) Como os casais modernos, melhor redefinir como moderninhos, tem a falta de caráter e hombridade para expor os seus companheiros às situações vexatórias, desrespeitando-as com a mais completa ausência de consideração - Por debaixo dos panos, enganam, ludibriam e traem sem o menor remorso;

6.) Dentre tantas outras situações que derivam das anteriores, deixando explícito o padrão de comportamento desleal e superficial que estamos construindo as nossas relações. 

Tudo isso me deixa tão desconsertado porquê atinge diretamente tudo o que eu preso e sinto, prostituindo o modelo de comportamento que eu acho adequado para construir uma relação séria e duradoura. E, a forma como as coisas andam e os comportamentos também, os desencontros se tornam cada vez mais evidentes, dificultando ainda mais a possibilidade de haver um genuíno encontro. 

Essas linhas e entrelinhas podem gritar os últimos suspiros de um irremediável romântico ou apenas os poucos traços que ainda resistem em mim. Isso associado ao profundo desânimo que me deixa cada vez mais cansado de acreditar em... sabe lá o quê. Tudo isso que está posto consegue me tirar do eixo, demasiadamente desconsertado.      

sábado, 6 de outubro de 2012

Página virada




Capítulo finalizado. Página virada.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Nada mesmo, caro Chaplin!!!




Nada é permanente nesse mundo cruel. 
Nem mesmo os nossos problemas.

(Charles Chaplin)

Meus 35!!!




Nem precisei imaginar, mas eu cheguei até aqui. A vida veio me conduzindo pouco a pouco, despretensiosamente, e eu fui acumulando parte de quem sou hoje: Não tão brilhante assim,  nem tão pouco completamente realizado, mas vi acontecimentos históricos importantes, como também, transformações de vida, descobertas essenciais de mim e dos outros, alguns ganhos e conquistas, algumas perdas e derrotas,  surpresas e decepções. Enfim, nada de tão diferente dos outros, já que eu continuo sendo um mero mortal. 

Mais um ciclo se inicia e vamos vivendo-o dia após dia, sem pressa e grandes equívocos e precipitações, tentando dar a grande virada - estou precisando dá-la em muitos sentidos, estou sentindo a necessidade disso. Então, vamos que vamos, sem extraordinárias previsões e grandes reclamações. 

Que os 35 anos aconteçam naturalmente e que a esperança floresça com muito mais força e certeza dentro de mim, sobretudo na minha alma. Que os sorrisos e as alegrias se tornem em maior abundância e os bônus coroem o meu merecimento como reflexo da minha ação. Sim, e que a paciência, a saúde, a tranquilidade e a paz não me faltem.

Não pretendo fazer grandes e complicados pedidos, apenas força e coragem para conquistar novos projetos, novos caminhos e novos sentidos, sem que eu me distancie de mim mesmo. Que eu possa encontrar o que eu ainda não consegui, além de fazer novas descobertas. Enfim, 35 anos pode chegar!!!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

A vida segue...




Às vezes, no decorrer do caminho, a gente encontra uma pessoa sem querer (querendo) e tem a impressão de que com ela poderia ser diferente. Envolvido pela carência, por aquela sensação de vazio que é tão peculiar do indivíduo solitário, você se pega planejando com ela uma série de situações, principalmente, quando tudo que ela procura lhe demonstrar parece combinar com você.  Daí, BINGO, você acredita que encontrou aquela pessoa que você tanto esperava, nem mesmo se dando conta ou questionando se a reciproca também é verdadeira. Com risco ou sem risco, você acredita na possibilidade, vai e arrisca.

Nos primeiros contatos, as energia vai fluindo naturalmente, tudo as mil maravilhas. Quando você menos espera,  vão surgindo as primeiras contradições, as primeiras frustrações e você vai se dando conta de que o que foi demonstrado não é tão sincero assim e vão surgindo as primeiras dúvidas e desconfianças. O discurso não condiz com a prática que ele representa. 

As suas expectativas caem por terra, literalmente. Você reconhece automaticamente a semelhança com as demais vezes em que você se pegou na mesma situação. Me refiro somente as situações em que você foi levado e seduzido a crer que havia uma sintonia a dois e parecia haver planos em comum. Enfim, você acorda e percebe que estava se apaixonando por uma ideia em que você foi induzido acreditar que ela existia e era verdadeira.

Infelizmente, ou você se aventura no desconhecido para poder viver o que tiver de viver, seja maravilhoso ou não, ou você se bloqueia para essa possibilidade tentando se autoproteger. Não há garantias no mundo que irá lhe assegurar se a chance dada vai dar certo. Sem mencionar a paranoia de estar sempre em estado de alerta, se possível com os dois pés atrás, capacete e colete a prova de bala, para evitar qualquer fraude emocional. E o que não falta por aí são fraudadores de sentimentos.

Não tem jeito, ou você acerta ou você erra, 50% de chances para cada possibilidade. Por outro lado, não tem escrito na testa de ninguém: "Essa pessoa é confiável". E agora?!!! Eu vou confiar em quê?!!! É o jeito apelar para a sorte. Você tem?!!!  

Putz, encontro-me nessa situação. 

Por um minuto você se faz a clássica pergunta: "Porquê novamente comigo?!!!" Ou onde eu estou errando dessa vez?!!! Você acaba se culpando, afinal foi você que permitiu essa aproximação e deu muita ousadia para quem não merecia. A vitimização se dá por conta  da seguinte situação: As suas crenças afetivas estão sendo postas a prova mais uma vez e que nenhuma teoria ou experiência é suficiente efetiva para evitar desenganos. Porém, que culpa você tem se a outra parte falhou com você?!!! Infelizmente, os enganos fazem parte do processo e só se evidenciam quando acorrem. 

Diante disso, só lhe resta: retirar-se de cena e não alimentar nenhuma expectativa, a não ser que você queira dar murro em ponta de faca, machucando-se por insistir numa relação unilateral e que já deu sinais de que as nossas vibes são diferentes. 

Sinceramente, parei. Não vou dar munição para alvejar os meus sentimentos, já tão maltratados. Pelo menos, eu tenho uma rápida capacidade de reação, não deixando me afundar cada vez mais numa relação que não me representa. Apesar de toda a indignação, não vale a pena deixar-me abalar por isso, então, a vida segue...

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Apaixone-se completamente por alguém que...





"Apaixone-se por alguém que te curte, que te espere, que te compreenda mesmo na loucura; por alguém que te ajude, que te guie, que seja teu apoio, tua esperança. Apaixone-se por alguém que volte para conversar com você depois de uma briga, depois do desencontro, por alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro. Apaixone-se por alguém que sente sua falta e que queira estar com você. Não apaixone-se apenas por um corpo ou por um rosto; ou pela ideia de estar apaixonado".

 (Tati Bernardi)



E ai, entendeu?!!!

♪♫ You got me by Colbie Caillat





I give up. I give in. I let go. Lets begin.
Cuz no matter what I do,
Oh (oh) my heart is filled with you!!!

Caso Kristen II




Ultimamente eu estava tão envolvido com as minhas leituras vampíricas e com as minhas questões pessoais, que eu  acabei esquecendo de comentar sobre a reviravolta no caso Kristen. Segundo a revista US Weekly, o casal crepúsculo Kristen Stewart e Robert Pattinson reataram o namoro e voltaram a morar juntos. Sinceramente, eu desejo que o  casal consiga superar o episódio anterior que gerou o comentado rompimento, afinal nunca é fácil lidar com uma traição, ainda mais sendo do conhecimento público: Se já é complicado para um mero mortal anônimo, imagine no caso dele. 

Se ele deveria perdoá-la ou não, é algo que cabe somente a ele responder e ponderar - Se é que ele tem que dar alguma satisfação para os outros.  Todavia, se é para perdoar o malfeito da mocinha, tomara que realmente aconteça de fato, não apenas da boca para fora. Perdoar uma traição não é algo tão fácil assim, por isso dependerá do grau de entendimento, de sentimento e de evolução espiritual dele.

O que acontecerá agora com o casal?!!! Diariamente, ela terá que provar o seu amor por ele, como também, demonstrar que mudou o suficiente para não repetir o deslize e ser merecedora do seu perdão e ele terá a sua confiança posta a prova todos os dias. Fato.

Perdoar ou não é uma opção muito particular, principalmente quando afeta aspectos fundamentais e delicados da subjetividade humana como confiança, vaidade e orgulho. Eu até acredito seja mais fácil aprender a lidar com a vaidade e o orgulho pessoal do que restabelecer a confiança em sua plenitude. Como antes, nunca mais será, agora existiram as dúvidas, as desconfianças e o punhal da próxima traição o atormentando. 

Se a relação dos dois irá se fortalecer e sobreviver ao fantasma da traição só o futuro dirá.  


E quando essa escuridão me possui...





(...) Eu me perdia pela cidade, anônimo, e esse anonimato era um vício. Eu não ter meu nome me absolvia de tudo. Eu me embebedava do desejo cego por qualquer um... E assim, eu me iniciei na solidão coletiva dos que não têm nada a perder. Ma
s, talvez, eu tenha até mais que os outros a tentação de corresponder ao bem. Uma tentação tão grande e absoluta, um desejo de corresponder de forma tão total, que paradoxalmente me tornou e me torno escravo cego de minha escuridão. E quando essa escuridão me possui, eu até a confundo com uma espécie de bem-aventurança.

(Fauzi Arap, texto do espetáculo Pássaro do Amanhã - 1977)

Mande um sinal aí!!!




Não se trata de pessimismo, mas, perceber e analisar os sinais. Com o tempo, a vivência traz esse olhar mais apurado para analisar as situações e/ou a intuição e o senso de proteção ficam mais aguçados. Principalmente, quando já se levou vários chutes na canela, tombinhos e tombaços e volta e meia ficando cara a cara com os dissabores provocados pelos desencontros que a vida nos dá, aprende-se que lidar com o comportamento humano não é nada original, muito pelo contrário, muitas vezes, frequentemente repetitivo - bem mais do que se gostaria. 

Quando logo no início se apresentam muitos desencontros que quebram a espontaneidade de  uma maior interação e acontecem pequenas ações incompreensíveis que demonstram uma certa contradição no discurso e na ação, já demonstram que a energia não está fluindo tão bem assim ou como deveria fluir. E diante disso, o normal é que haja um ajustamento inicial de ambas as partes, porquê, entende-se que exista um objetivo em comum. Se há entre nós, sinceramente, eu já começo a desconfiar. 

Sim, é natural que algumas relações comecem melhor do que outras, afinal cada relação é única e tem o seu tempo de emplacar, mas, a gente sabe quando o enredo do filme é parecido com o outro, só mudando quem é que dá vida ao personagem interpretado. E a falta de intimidade, devida ao pouco tempo de convivência, compele e evita de um "chegar junto definidor", caso feito, corre-se o risco de assustar. Infelizmente, as pessoas se assustam com opinião, atitude e sinceridade. 

Para não se assustar, a gente acaba pegando leve e apela para o tempo passar e as coisas continuarem fluindo normalmente com o tempo. Mas, quando a energia deixa de fluir?!!! Deve ser porquê alguma expectativa foi ferida, alguém se contraiu. Eu me contraí. Se isso aconteceu comigo, provavelmente também tenha acontecido com você.

 - "Por mais que eu goste de você e tenha vontade de te levar a sério, eu me nego ficar ao seu redor, em função de você". 


O fato é que entre nós a energia mudou, pelo menos, até então. 

Quem dizia que "quanto a descoberta tenho a preferência que seja aos poucos", em pouco tempo, demonstrou-me ao contrário: avançando o sinal numa rapidez ansiosa.  Como eu não tenho maiores e concretos indícios sobre as suas intenções para comigo e para nós dois, justamente por não conhecer você, eu brequei, dando um ritmo mais ameno para essa sua afobação. Hoje não dá para confiar às cegas, do dia para a noite. Há quem confie dogmaticamente, mas, eu não consigo - o meu romantismo sofreu um atentado quase terrorista.

- "Quantas bombas cruzaram no meu caminho, minando a minha confiança no comportamento humano?!!! Eu já perdi as contas. Muitas missões foram abortadas nesses últimos 15 anos, umas menos traumáticas do que outras. Talvez, também seja por isso, eu consiga me recuperar mais rápido de alguns equívocos de escolha e de leitura da realidade."  


Eu também resolvi diminuir a velocidade porquê eu preciso de tempo para dar um UP na minha autoconfiança e para evitar maiores atropelos. Eu até prefiro que as coisas fluam naturalmente. Mas, ...

- "Sempre há um no meio do caminho."


... Quando eu pensei que eu também poderia acelerar, sinto essa estranheza, um certo distanciamento entre nós, de ambas as partes. Quando o diálogo não acontece com espontaneidade, dando a impressão de que um está esperando o próximo passo do outro, deixando de ser natural para ser estratégico. Apesar do meu DNA libriano, eu não estou afim de ser estrategista. Não estou. Como é difícil, heim?!!! 

- "Eu ainda não desisti de nós dois. Vamos ver se saberemos retomar esse diálogo e continuar conectados em função de um objetivo comum."


Se não der, paciência. Paciência, seja para qual rumo isso tudo vai tomar. Até lá, eu não vou me forçar a tomar nenhuma atitude que eu não me sinta estimulado para tomar. E se você estiver esperando por um próximo passo meu?!!! Dê um sinal, afinal de contas, eu não tenho bola de cristal em casa.

Se fazer de que está tudo bem entre nós, quando não está, pelo menos pra mim, não nos ajuda em nada. 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

♪♫ Linkin Park - Burn it down







(...)We're building it up
To break it back down
We're building it up
To burn it down
We can't wait
To burn it to the ground...

TVD, as diferenças entre o livro e o seriado de Tv: O Retorno - Anoitecer




Na boa, esse livro é muito chato. Muito blá blá blá para descrever a nova formação das  ordens de poder, a existência de outras dimensões paralelas e o surgimento de novos personagens sobrenaturais (os seres ocultos do bosque, os homens-árvores, os pinheiros envenenados, os insetos malaches que se hospedavam no corpo das pessoas influenciando a mente e o comportamento delas e o casal de irmãos gêmeos Shinichi e Misao - diabos fortes e sádicos que assumem forma de raposas vermelhas há séculos)  que chegaram a cidade atraídos pela luz dourada de Elena e o seu novo, fascinante e tentador sangue. A partir daí, Elena e os seus amigos humanos (Matt, Bonnie e Meredith) nunca sentiram tanta dor física e o risco eminente da morte. 

Basicamente, após 07 dias ter voltado do "Outro lado", Elena assumi uma nova forma humana munida de dons e poderes especiais, desaprendendo tudo. Sob aos cuidados de Stefan, ela voltava a aprender tudo o que havia esquecido, mas de forma bem rápida, e voltando a ser o alvo preferido dos vampiros, principalmente Damon, e outros seres sobrenaturais. Já recuperada, Stefan e Damon se desentendem, afastando-o do grupo.

Cai sobre a cidade fenômenos estranhos, alterando comportamento das pessoas, sobretudo o de Caroline, assumindo o seu papel de vilã, voltando-se contra Elena e Stefan mais uma vez, influenciada pelo diabo Shinichi, pois, era ela que transmitia o malach para as pessoas através do contato físico, assim, esses insetos iam se proliferando entre as pessoas.

Preocupados com tais fenômenos bizarros, Stefan, Elena e o trio de amigos humanos (Matt, Bonnie e Meredith) se organizaram para descobrir o quê e quem estava provocando tudo isso e deixando Elena em risco.  Enquanto isso, Damon com raiva e contrariado pelo irmão, faz um pacto com os irmãos gêmeos diabos para que eles pudessem afastar Stefan definitivamente de Elena, aprisionando-o em outra dimensão, para que ela seja sua e, em contrapartida, eles poderiam ficar com a cidade sem a sua interferência. Vale ressaltar que a mente de Damon também foi manipulada, tornando-o muito mais colérico e perigoso.

Damon forja o desaparecimento de Stefan apnós um encontro entre os dois, deixando uma mensagem para Elena acreditar que seu irmão havia lhe deixado, indo embora buscar uma suposta chance dele se tornar humano novamente. Mesmo arrasada, ela não desiste dele e continua com os outros investigar os fatos. A medida que eles iam atrás de respostas, Elena e os seus amigos passaram a sofrer acidentes e atentados que colocavam as suas vidas em risco, maltratos físicos e provações, incluindo a perseguição de Damon. Divididos em dupla, Elena e Matt tentam buscar Damon para que ele pudesse ajudá-los a encontrar Stefan, sem ela imaginar que ele tinha participação nesse sumiço, e Bonnie e Meredith iam atrás de Caroline para descobrir quem estava sendo manipulado pelos malaches, comandados pela diaba Misao.  

Enquanto Elena e Matt encontram Damon e são atacados por ele, Bonnie e Meredith são atacadas por Caroline e o malach. Tudo isso numa trama descrita de uma forma cansativa. Tentando salvar a vida de Matt, gravemente ferido, Elena se separa dele e vai embora com Damon, conseguindo escapar dele ao se jogar do carro dele em alta velocidade, ficando mais uma vez muito machucada. Por sua vez, ao despertar, Matt vai atrás de Elena sem achá-la, juntando-se a Bonnie e Meredith, que nessa altura, já haviam conseguido fugir da casa de Caroline e voltaram para o pensionato - lá descobrindo a verdade do sumiço de Stefan e a culpa de Damon falsificando a mensagem original deixada por Stefan e passando a contar com o apoio da misteriosa Sra Flowers (dona da pensão onde Stefan se hospedava) - revelando-se como uma das bruxas de Salem.

Damon desperta do transe e não se lembra o que de fato aconteceu e vai procurar Elena. Encontrando-a muito machucada, passa a cuidar dela e fazendo o que o Stefan lhe pediu antes de ser capturado: Cuidar dela na ausência dele. Quando ela se recupera e descobre que a mente dele também estava sendo manipulada pelos diabos, Damon passa a ajudá-la e os seus amigos para conter a ação dos inimigos, jogando Shinichi e Misao um contra o outro, e descobrir como resgatar Stefan, aprisionado em outra dimensão. Eles se aproximam muito mais. Embora Elena reconheça que sente uma forte atração física por Damon, ela não se deixa envolver, pois o seu foco está em recuperar Stefan são e salvo.

No final do livro, Elena entra em confronto com a Misao, querendo saber onde Stefan está aprisionado e onde as 2 chaves estão escondidas para salvá-lo, e Damon também entra em confronto com o Shinichi.  No fim das contas, eles conseguem o objetivo, fazendo os irmãos gêmeos brigarem entre si, enfraquecendo-os. Com isso, Elena e Damon vão juntos resgatar Stefan

Com relação ao seriado, nada disso foi abordado ainda e o surgimento de Isobel na trama nada tem a ver com a participação dessa personagem no seriado. Ela não é mãe de Elena, é apenas uma jovem vítima do malach e namorada do capitão do time de futebol americano.


"As lágrimas não reparam os erros!!!"

The Verve - Bitter Sweet Symphony (with lyrics)

♫ Pitty - Na sua estante

"Eu não ficaria bem na sua estante..."