quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Vá além da sua zona de conforto...


É da natureza humana gostar de conforto, não há nada mal nisso se... Você não estiver totalmente entregue à inércia da comodidade, ao comportamento preguiçoso, limitado e apático de querer tudo entregue numa bandeja de prata (Bacará, please!!!), conforme o seu bel prazer, e sem fazer menção à qualquer esforço e senso crítico. Há quem queira ser servido e agraciado em 100%, todo dia, toda hora, a cada vontade, absurdamente sem querer dar nada em troca (= a retribuição).

- "Acorda, marajá!!! Não dá para passar por aqui como simples espectador da vida, sem atitude e sem realizações."


Assim, neste contexto confortável e inerte, também há quem queira exercitar o verbo amar na "flauta", na maior moleza, sem conflitos, sem crise, sem maiores gestos e entregas, tendo todos seus desejos realizados tal e qual um sultão, como se conjulgar esse verbo fosse simples e fácil demais - Até deveria ser, mas, não é. Por acaso, você é um ser humano simples e de fácil trato e acesso?!!!

- "Eu não sou. Sou difícil e complexo, como vocês mesmos sabem e estão cansados de saber. Porém, não falemos de mim. Hoje, não sou eu quem estarei na berlinda, na verdade, ninguém em especial."


Há quem saiba amar apenas na dimensão tangível, concreta e tocável. De preferência, na presença. Também concordo, pois, quando se pode desfrutar da presença, da troca de carícias, da construção e do caminho compartilhados, é a concretização da subjetividade: dos sentidos, dos desejos, das expectativas, dos sonhos e dos planos. No entanto, amar não se limita apenas à dimensão tangível. Existem outras formas de amar, indo além do concreto e da presença, daquilo que se pode ver, tocar e sentir, quando se estar "olhos nos olhos", "frente a frente" - apesar da sua máxima necessidade.

Há quem saiba amar apenas na sua zona de conforto. Amar assim, é tão limitado quantos os sentimentos rasos de quem não se pode esperar muito, nem grandes cenas, nem grandes sonhos e nem grandes demonstrações de afeto, nem mesmo as grandes provas de amor - o tamanho e a importância delas, cada um define para si mesmo.

Há quem saiba amar à distância, a partir de uma idealização, criando personagens que não existem (apenas construídos com base em suas suposições e afetividades) e alimentando fantasias, sonhos, planos, enfim, um sentimento. Há quem consiga viver em sonhos, mas, ..., o risco de cair das nuvens ao se deparar com a dura, nem sempre cor-de-rosa e com formatos de algodão, e contundente realidade dos fatos, das pessoas e das situações é muito maior.

- "Eu não acredito que um sentimento que se construa e tenha o seu suporte tão e somente no intangível, na imaginação, perdure por muito tempo, mas, que ele acontece, ah, sim, acontece."


Mas, não dá para abrir mão a ludicidade do sentimento e da relação, há não ser que você se proponha a ser uma máquina ou um robô ou, talvez, quem saiba, um cubo de gelo e não esteja na relação por inteiro.

Há também quem subestima a capacidade de amar dos outros, somente e porquê pode ser diferente e/ou contrária a sua forma de amar. Quanta falta de sensibilidade. Quem não tem sensibilidade para amar, não ama, apenas se relaciona, assim como quem estabelece um contato tátil com algo, alguma coisa, meramente pegável, colecionável e até descartável.

Para esse verbo não há regras, mas posicionamentos: Uns, querem amar apenas na dimensão tangível; outros, na dimensão intangível; e os mais completos, na minha opinião, em ambos os polos, devidamente interligados. Mas, independente de qual posicionamento se adote, amar nunca é uma tarefa fácil, por isso, que tal sair da sua zona de conforto e ousar mais?!!! Sentir mais?!!! Dedicar-se mais?!!! Interagir mais?!!! Porquê, não, amar mais?!!!

Amar é ir além da sua zona de conforto, é correr riscos necessários, porquê os desnecessários não contam e não fazem os olhos brilharem, além de fazer a gente perder o nosso tempo e a nossa energia, marcando passo sem sair do lugar.

Em detrimento do UNO


Uno, Uni, Privacidade, Integralidade, ..., todas essas formas e essêcias que denotam a individualidade, seja em sua esfera íntima ou particular ou na sua espera coletiva ou grupal, sempre se encontra em detrimento e inferiorizada para apoiar ou se submeter ao coletivo. Na verdade, são os interesses coletivos que prevalecem e são postos em primeiro lugar. A sua rejeição, indignação e revolta é una, portanto, não tem peso e nem voz, só terá se encontrar um coral.

Você?!!! Eu?!!! Unos em nossa existência, pouco importamos, pois como unos não somos nada e ainda somos considerados como um risco eminente para a ordem coletiva. O diferente torna-se interessante para que e para quem?!!! Se afronta o interesse do todo, é reprimido e excessivamente aniquilado. Se interessa, vamos corrompê-lo, assim, é uma maneira de integrá-lo a massa, ao todo. No caso da sua insignificância, ignore-o, deixe-o de lado, afinal de contas, um uno insignificante, sempre será insignificante mesmo, né?!!! Deixe-o na invisibilidade.

A diferença incomoda tanto porquê ela é una. E se una, não interessa ao coletivo. Caso ela se propague, de una passa a dual, depois a trio e, matematicamente falando, pode alcançar a condição de conjunto expressivo - Grupos de unos, grupos de pares, grupos de pensamentos, sentimentos e afinidades. Perigoso, não?!!! Cuidado com o interesse e a ordem daquele coletivo que se sentir ameaçado.

Filosoficamente, a vida, a humanidade, a ordem das coisas, o todo e tudo, estão organizados em sistemas e não em unicidades. O Uno por si só é nulo, pois a sua validade se justifica se estiver interligado ao outro: Uno + Uno; Uno + Coletivo; Uno + Sistema. Apenas UNO, por definição anula-se em si mesmo.

E por falar em si mesmo, até as nossas angustias unas, íntimas e pessoais, sempre refletem uma questão coletiva, seja de pertencimento ou não pertencimento. Já prestou atenção?!!! Até o nosso egoísmo, a expressão máxima da nossa individualidade, reflete a ausência do coletivo, seja em qual símbolo ele se faça representar.

Até o exagero, o complexo, o barulho e o excesso se fazem melhor representar e perceber do que o contido, o simples, o silêncio e o na medida. Nada mais é do que o coletivo ecoando... Até o eco se propaga muitas vezes, em coletivo. E para completar, até quando nos voltamos para dentro de nós, para nos percebermos o nosso universo uno, logo depois, nos voltamos para o coletivo, à tudo que nos rodeia.

Tudo nos leva a crer que o uno não se mantém como uno, sempre precisando do outro.

Se existisse apenas o 1, ele se estagnaria em si mesmo. Até o uno precisa de sequência para existir enquanto uno e integrante do todo.

O que seria o Planeta Terra sem o sistema solar?!!!

O amor só se justifica se for a 2, há quem diga que é a três, a quatro, a poli, ..., enfim, um harém de possibilidades. Se for uno, não se realiza, apenas no mundo das idéias - exercício cansativo e castrador.

Nem a existência humana é una, já que existe a condição da fertilidade para quem quer se propagar em carne, osso, células, órgãos e sistemas. O mesmo acontece com as demais espécies.

Até o ponto final (.) é superável pelas reticências (...), onde esses tais três pontinhos dão a sensação de movimento e continuidade. Viver é ..., apesar do PONTO dar ênfase e objetividade - unamente necessária para decidir algo.

A palavra por si só não basta, ela precisa se uma sentença frasal para dar sentido maior. Assim, um dircuso monossilábico, não se basta, não se comunica, pois, sempre dá o sentido de que algo ficou por ser dito.

Se por definição a morte, o caos e o vácuo são unos, pontos finais que propõem o final da existência ou da inexistência, dependendo do ponto de vista e da crença, eles deixam de ser unos quando vistos como a tranformação, a mutação e o buraco sem fim, ganhando a extensão de infinitos. Infinito nunca se reduzirá a condição de uno.

Uno no singular se remete apenas ao universo introspectivo e, sem a consoante "s", se torna depressivo, IN, OFF. Mas, tudo é OUT, ON, e, se não é, deveria ser, praticamente uma obrigação.

E por falar da solidão, não posso me esquecer dela, já que eu a defendo tanto e a vivencio constantemente. No entanto, a minha defesa não consiste em defender a sua permanência, em seu aspecto uno e limitado, mas, os momentos destas - momentos necessários para que eu possa estar em contato comigo mesmo, colocando os meus sentimentos e as minhas idéias em ordem, me recompondo e me autoconhecendo. No entanto, a sua permanência é una, singular, e a sua superação é plural.

Finalizando, a mensagem final é que vivemos em função do coletivo em detrimento do uno, do egoísmo essencial, em muitos casos e circunstâncias, abrindo mão de nós mesmos.

Um risco eleitoral democrático



Obrigados ou não, vota Brasil!!!

E o que é pior, querendo ou não, em todas as eleições, nós, eleitores, sempre corremos o mesmo risco democrático: Nos submetermos à escolha eleitoral de acordo com a vontade dos outros, onde o nosso ideal político e/ou a nossa preferência por determinados representantes políticos podem não ser respeitados - Há não ser que você concorde com a opinião da grande maioria.

Não tem jeito, é a regra do jogo democrático, nos rendermos a vontade maioritária dos votos, onde nem sempre vota-se com responsabilidade, idoneidade e por convicção política. Sempre há algum interesse coletivo no qual temos que acatar, nem sempre com resignação, e nos curvar, mesmo que, seja prejudicial a nossa necessidade e interesse particular.

Os comandados sempre se fu... Já prestaram a atenção?!!! Seu candidato ganhando ou perdendo, todo mundo se ferra da mesma forma, pois, se faz política por aqui, não visando o bem-estar social em prol da coletividade, como vemos em alguns setores do Canadá, da Suíça, da Grã-Bethânia, dentre outras nações civilizadas de fato e de direito, mas, os interesses de um grupo ou minoria.

- "Eita massa de manobra!!! Alienação existe desde que o mundo é mundo, né é não Marx?!!!"


Então, meus caros cidadãos brazucas, vamos votar, independente da forma como vamos ser manobrados.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Você já fez a sua "cola eleitoral"?!!!



Faltam poucos dias para todos nós, brasileiros, irmos cumprir o nosso compromisso cívico como cidadãos honrados que somos. Masssss, quem irá nos honrar no cenário político e eleitoral?!!! Complicado!!!

Se não bastasse esse fardo exercício de cidadania, irmos obrigados às urnas eleitorais em pleno domingo (pelo dia em si, é indiferente pelo tédio que ele representa) ainda temos poucos candidatos honestos e decentes para votar, realmente comprometidos e interessados com as causas nacionais e as nossas necessidades quanto cidadãos.

- "Ai como a gente sofre!!!"


E você já fez a sua "cola eleitoral"?!!! Não se esqueça, nela deve conter os nomes dos seus candidatos e as legendas partidárias em que eles são filiados, obedecendo os seguintes cargos eletivos: 1 para a presidência, duas para o senado, 2 para as câmaras de deputados - um federal e outro estadual. Aff, para acabar com esse martírio político-eleitoral deveriam ter acrescentado os de prefeito e vereadores, né?!!!

- "Ai, ai, ai, viu?!!!"



Sinceramente, a minha "cola eleitoral" está mirradíssima por sinal, porquê, cá entre nós, falta opções de candidatos para votar. Além dos jurássicos dinossauros da política cearence, alguns muito bons, outros "zu livre", a nova geração é pior ainda - Grande parte de oportunistas-afilhados, insanos e sem noção. A política cearense vai de mau a pior.

Como eu não sou filiado a nenhum partido, apesar da minha preferência pela direita local, eu estou imune ao compromisso partidário, pois, em não voto em partidos, mas, em personalidades políticas que eu conheço, indoço a sua credibilidade política e tenha feito boas intervenções pelo meu Ceará e pelo meu país.

Não irei votar com irreverência e por crítica social, porquê não é o caso. Não voltarei em qualquer um, porquê, além de eu não ser um "analfabeto político", eu não vendo o meu voto por tão pouco. Embora, não seja muito a favor do voto em branco ou nulo, por favorecer outros candidatos sem expressão política e também nem sempre muito confiáveis, infelizmente, eu não descarto essa hipotese, apesar de poder votar na legenda dos partidos.

Enfim, eu vou às urnas sem um grupo político formado, mas, nesses últimos dias que antecedem esse exercício de cidadania, eu preciso definir os nomes que faltam para encabeçar a minha listinha.

- "E você já preparou a sua?!!!"

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Coração improdutivo, por hora



Momento nada propício para exercitar a minha afetividade, sobretudo resgatar pendências passadas que já deixaram de sê-las, e tomar toda ou qualquer decisão dessa natureza. Por hora, meu coração está improdutivo, logo, fechado para balanço.

Eu mereço, viu?!!! Sente só o colóquio:


- "Gato, você ainda me quer?!!!"

- "E tem o que querer?!!! Com toda certeza que não, né?!!!"

- "Que pena, eu gosto tanto de você!!!"

- "Se não bastasse a nossa distância territorial..."

- "É, né?!!!"


- "Também existe a nossa distância pessoal, há mais de 02 meses que nós não trocamos um "oi, tudo bem?!!!" sequer... Você ainda acha que pode existir alguma coisa?!!! Eu não. rs..."


(Silêncio)


Ah, por favor, né?!!! Ah, algo a ser retomado?!!! Em se tratando dos fatos, não há argumentos, muito menos, replicas, tréplicas e, quisá, cenas humilhantes e cenas e atos de implorar. Se antes, não implacaria, imagine agora, depois dos últimos acontecimentos.

- "TSC, TSC, TSC, ..., I'm sorry, but... É preciso ser sincero: "NÃO DÁ"!!! Coração improduivo - Sem ocupação e fechado por tempo indeterminado!!!"

Ultimamente, se eu pudesse...


... Sumiria no mundo, do mundo, sob os olhos de todos,
principalmente, daqui de casa!!!




- "Vontade de sumir é o que não me falta, aff!!! Se possível, sem retorno!!!"

I Still

Tudo nessa vida passa... O que não é passível de esquecimento, se acomoda, é amenizado. Com certeza, se eu fizesse essa referência musical associando à "anos atrás" e também à "semanas atrás", ela não seria tão pertinente. Porém, todavia, contudo, ..., elas se esvaziaram em mim, perdendo qualquer sentido.

Mas, não é por isso que "I Still" não mereça o registro. Merece sim, porque a letra da música é densa e ela marca a fase mais madura da boyband Backstreet boys - Sim, sim, sim, os meninos cresceram também, asi como Yo!!! :p






Who are you now?

Are you still the same
Or did you change somehow?
What do you do
At this very moment when I think of you?
And when I'm looking back
How we were young and stupid
Do you remember that?
Baby

No matter how I fight it
Can't deny it
Just can't let you go

I still need you
I still care about you
Though everything's been said and done
I still feel you
Like I'm right beside you
But still no word from you

Now look at me
Instead of moving on, I refuse to see
That I keep coming back
And I'm stuck in a moment
That wasn't meant to last (to last)

I've tried to fight it
Can't deny it
You don't even know

That I still need you
I still care about you
Though everything's been said and done
I still feel you
Like I'm right beside you
But still no word from you

Ohhhh
Wish I could find you
Just like you found me
Then I would never let you go (without you)

Though everything's been said and done (yeah)
I still feel you (I still feel you)
Like I'm right beside you (like I'm right beside you)
But still no (still no word) word from you

Sinto-me liberto


Sinto-me liberto, liberdade essa que apenas a mais plena lucidez pode libertar. Porém, trata-se de uma constatação angustiante, pois você percebe a partir doutro olhar, doutra perspectiva,o que de fato sempre foi: Independente do que foi dado/retribuído, você se encontra como sempre esteve, essencialmente Sozinho.

- "Estou liberto, agora sem as vendas e/ou os encantamentos que não me permitiam exergar com nitidez, tentavam justificar para mim o que talvez fosse (in)justificável e amenizar o descompasso. Libertei-me!!!"



Liberto-me da própria gaiola encantada e doentia que eu havia criado, apenas com a mais singela intenção de voar, voar o mais alto que se pode chegar, sem asas, apenas com o coração. Alado ou não, esse meu pobre, cançado e ferido coração tentou voar mais uma vez, não satisfeito com as tentativas frustradas anteriores.

- "O que eu mais posso fazer se ele não compreende: Você não sabe voar!!!"


Mesmo assim, sinto-me liberto, não mais preso ao tempo mais remoto e, muito menos, o mais recente. Eu criei a gaiola lembra?!!! Quem sabe, ambas as prisões não eram apenas ilusões criadas pela minha imaginação fértil e esperançosa e pela minha percepção encantadamente equivocada?!!!

- "Longe da lucidez, perto do equívoco."


Se eu me pus na condição de prisioneiro, nada mais justo e consequente, que eu também me coloque na sua antítese, como liberto. Sinto-me liberto, sinto-me liberto. Sim, para recomeçar, mas, após um necessário intervalo de descanso e, quem sabe, se surgir bons motivos para voar - Mas, por favor, um vôo tranquilo, seguro e maduro.

- "Voar sem uma rede de proteção para me amparar é, com certeza, um vôo suicida, daquele de arranca as asas, até mesmo as imaginárias."



Sinto-me liberto, é hora de descansar, de se recuperar em ânimo e novos propósitos.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Para ser amado, será que isso basta?!!!



Uma temática tão sentida, tão debatida, tão cantada e decantada... Ora, parcial ou integralmente um exercício solitário, ora partilhado, mas, não tem jeito, faz parte de nós e sempre há uma nuance a ser destaca.

A icognita afetiva da vez é: "Para ser amado, será que isso basta"?!!!


Para ser amado...


... Basta apenas e simplesmente ser belo?!!!

Se bastasse, não existiria tantos "lindos" solteiros, carentes e à procura e "feios" acompanhados e vice-versa;


... Basta apenas ter dinheiro no bolso?!!!

Se bastasse, também não existiria "ricos & magnatas" achando que podem comprar afeto, quando na verdade, apesar de todo mundo ter o seu valor, uns mais baratos, outros mais caros, outros vendíveis por tão pouco, outros por "quase-nada", afeto não se compra, se doa;


... Basta apenas ser um profissional competente e uma carreira profissional sólida?!!!

Se bastasse, não existiria desempregados comprometidos e nem profissionais bem sucedidos solteiros;


... Basta ter merecimento?!!!

Se assim fosse, bastaria ser um bom cristão para ser abençoado por Deus e ter esse merecimento. Mas, a tanta gente que não merece (ou supomos assim) que estão aí partilhando de uma vida a dois;


... Basta ser inteligente?!!!

Apesar de inteligência ser um afrodisíaco e um pré-requisito básico, pelo menos para mim, se bastasse, os burrinhos seriam excluídos automaticamente, mas, ..., na prática não é assim.



Talvez, não basta apenas SER ou TER ou SER e TER, ou todos aqueles chavões que nós damos para acalentar os corações dos mais carentes e justificar as suas solidões: "A pessoa certa, na hora certa, no lugar certo"; como se o amor ao surgir fosse pontual - Nunca será para aquele que o espera e o deseja vivenciá-lo sedentamente.

O que bastaria então?!!! O encontro de almas. Longe de todo aquele blá blá blá exotérico e religioso. Alma no sentido de duas subjetividades que se encontram, partilham das mesmas vontades (ou boa parte delas) e comunguem em partilhar um caminho juntos. Isso sim, me parece mais justo e justificável, sem hipóteses absurdas e dogmáticas.

Nem sempre querer é poder e ser amado seja uma prerrogativa certa. Há quem tenha passado por essa existência, sem nunca ter sido amado (pelo menos, da forma como gostaria e achava que deveria) e ter experimentado o amor (apenas pequenas e devastadoras viroses sintomáticas de paixão e de desilusão).

Será que é sorte?!!! Sina?!!! Acaso?!!! Destino?!!! Se é ou não, são fundamentos muitos excluístas e poucos democráticos. Será que o amor é democrático?!!! Feito para todos?!!! Pode até ser na teoria, já na prática...

Não bastaria ser tudo, se assim fosse, teoricamente, o mais perfeito dos homens e das mulheres se encontraria e seriam felizes juntos, propagando a sua felicidade e o seu amor bem sucedido para os 4 cantos do mundo e eu e você, todos nós, os conheceríamos e saberiamos qual exemplo a ser seguido. Mas, será que esse casal extremamente perfeito existe?!!!

Talvez, seja o casal das imperfeições combinadas que se adaptaram um ao outro, se respeitam e aprenderam a construir a felicidade juntos. Deve ser isso?!!! Mas, de todo jeito, essa aprendizagem não é fácil e há passagens tortuosas para se chegar até ela: Enfrentando, batalhando e vencendo os desamores, as ilusões, as expectativas e as vaidades humanas.

Tão fácil, não achas?!!!

O fato é: No meio disso tudo, a resposta mais visual sempre nos aponta o que "não basta" e a complexidade que permeia essa busca. Buscá-lo ou não, acreditar ou não na sua acessibilidade e viabilidade só depende única e exclusivamente de você. Há quem continue nessa árdua jornada por teimosia e crença, há quem tenha desistido (pelo menos em discurso).

Mas, com certeza, não é apenas a beleza, o status, a realização profissional e pessoal, o merecimento e a sorte que irão garantir os 100% de possibilidade que isso irá acontecer. Independente da nossa vontade, pode acontecer ou não. Tal encontro não é uma garantia, mas, sim uma possibilidade, passível ou não de concretude.

sábado, 25 de setembro de 2010

You get what you give





... "Fly high
What's real can't die
You only get what you give
You're gonna get what you give
Don't give up
Just don't be afraid to live..."



- "Saudades de uma fase da minha vida que não voltará mais... Época da graduação (1999/2000), galera show!!! Essa música é a nossa cara!!!"

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Estranhos e à toas



Como se não bastasse o meu desconforto diante da nossa situação, desde o princípio, evitar bravamente e com todas as armas que eu dispunha para não viver uma "paixonite" desnecessária, pois, não me adiantaria em nada alimentar um sentimento à toa e unilateral, agora, juntamente com o apoio do tempo e do silêncio, nós alcançamos ao ápice da indiferença: A estranheza.

- "Por mais que nós dois, à priori, não quiséssemos que isso acontecesse, era um risco possível. Tanto que, não conseguimos evitá-la."


Hoje, nós somos dois estranhos e, a amizade e o carinho que nós tínhamos no início, se perderam. Jamais teremos de volta o que tínhamos antes, já que nos perdemos de todas as formas que poderíamos nos perder, inclusive, da minha parte, a graça e o interesse de ter a sua amizade.

- "Enfim, não faz muito sentindo estabelecer uma amizade e uma proximidade forçada e indiferente, né?!!! Por isso mesmo, só nos resta é a estranheza."

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Voltando a época de colégio



Hoje eu resolvi sair da toca: Respirar outros ares e interagir com o mundo. Abri mão do meu confinamento, apenas um pouco. Como nos aureos e saudosos tempos de colégio, arrumei a minha mochila e fui dormir na casa de uma amiga, tal e qual como fazíamos quando éramos estudantes do Colégio Batista - A gente fazia de tudo, menos estudar para a prova!!!

- "Owww momentos maravilhosos e inocentes que não voltam mais, apesar de, já naquela época, com os nossos 12 ou 13 anos já não éramos tão inocentes assim e/ou já éramos os cães em forma de gente!!!"


Além de colocarmos todas as conversas em dia, naturalmente, não poderia ser diferente, também houve a sessão remember, nostalgia total. É sempre bom recordar dos velhos tempos e, principalmente, rir muito dos momentos marcantes. No nosso caso, foram muitos!!! A minha turma "D"/"M4", viveu a sua pré e adolescência intensamente, enfim, nós temos muitas histórias a contar.

Confesso, que muitas situações eu não me recordo, ficaram perdidas no tempo, mas, basta apenas recontar que parte delas vêm a tona. É sempre bom a gente olhar para o passado e ter boas e sadias travessuras para contar.

- "Talvez, eu tenha me distanciado bastante do Dan que eu fui em outrora ou, aquele Dan, permanece adormecido, num arquivo especial, sendo acessado apenas em momentos especiais como estar do lado de amigos de uma vida, enfim, mais de 20 anos de amizade não se esquece assim do dia para a noite."


Mas, de toda forma, eu assumo a minha culpa e me responsabilizo pelo meu afastamento em relação aos meus amigos. I'm sorry, but... Ainda bem que vocês me compreendem e não me crucificam por isso. Em casos assim, de uma amizade de uma vida inteira, o tempo não apaga e a vida por si só tem o seu ritmo e trajetória e por isso nem sempre dá para ficarmos coladinhos e tão próximos como poderia ser ou como gostaríamos que fosse.

- "Tudo bem, desculpas aceitas de ambas as partes. Afastamento entre amigos de infância e colégio acontecem, mas, quando estão baseados em vínculos fortes e sinceros, podem ser retomados a hora, o dia, o tempo que for, pois, parece que o tempo não passou, apesar das marcas de expressão e da vida em nós, e a intimidade e o carinho continua o mesmo."


Amizades não são construídas de uma hora para a outra, do dia para a noite, é um processo longo, às vezes árduo, e supera o tempo, a distância e o silêncio. Eu tenho a sorte de ter algumas amizades que vão me acompanhar para o resto da vida e, isso sim, é o que realmente importa. Aquelas que ficaram pelo meio do caminho, com certeza, não eram tão importantes assim ou cumpriram as suas funções naquele dado momento. Entonces, como eu sempre digo: "As pessoas entram e saem das nossas vidas todos os dias".

Mas, o fato é que eu voltei no tempo e me senti como se estivesse há muitos tempos atrás, voltando a época de colégio, só que agora com mais personalidade e mais experiência.

Meu "raio X" musical




Essencialmente, eu:



(...) "Venha
Meu coração está com pressa
Quanta esperança está despersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão

Venha
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nossa futuro recomeça
Venha
Que o que vem é perfeição"...

(Legião Urbana - Perfeição)




Meus sentimentos por você:



(...) "Não consigo dizer
Se é bom ou mal
Assim como o ar
Me parece vital

Onde quer que eu vá
O que quer que eu faça
Sem você
Não tem graça"...

(Capital Inicial - Fogo)



(...) Foi tanta força eu fiz por nada
Pra tanta gente eu me dei de graça
Só pra você eu me poupei

Será que o tempo sempre disfarça
Tomara, um dia tudo isso passa
Desculpa as mágoas que eu deixei"...

(Leoni - Dublê de corpo)



(...) "Vai ver que não é nada disso
Vai ver que já não sei quem sou
Vai ver que eu nunca fui o mesmo
A culpa é toda sua
E nunca foi

Mesmo que as estrelas começassem a cair
Nos queimasse tudo ao redor
E fosse o que
Chegando cedo
E você visse
O nosso corpo em chamas
Deixa..."

(Legião Urbana - Angra dos Reis)



(...)E quando eu vejo o mar
Existe algo que diz:
A vida continua
E se entregar é uma bobagem!!!

Já que você não está aqui
O que posso fazer?!!!
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos
Lembra que o plano era ficarmos bem?!!!

Olha só o que eu achei?!!!
Cavalos marinhos"...

(Legião Urbana - Vento no Litoral)




Se eu pudesse explicar o que aconteceu comigo, eu diria:


(...) "É mágia
Energia
Mutação em mim
Penso nela
É tão bela"...

(Ego Trip - Kamikase)





Às vezes, eu também fico perdido, sem saber o que fazer...



(...) "Há quem devo perguntar
Aonde eu vou procurar
Um livro onde aprender
Há você não me deixar

Agora, você vai embora
E eu não sei o que fazer
Ninguém me explicou na Escola
E quem vai me responder?!!!"...

(Kid Abelha - Educação Sentimental II)




Parte de mim que se foi (I): Rew'07



(...)"Agora está tão longe de ver
A linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que eu tenho mais saudade

Quando olhávamos juntos na mesma direção

Aonde está você agora além daqui

Dentro de mim?!!!"...

(Legião Urbana - Vento no Litoral)




Parte de mim que se foi (II): Filozinha, In Memorian



(...)"Me sinto só
Mas, sei que não estou
Pois, levo você no pensamento
Medo se vai
Recupero a fé
E sei que algum dia
Ainda vou te ver
Cedo ou tarde

Cedo ou tarde
A gente vai se encontrar
Tenho certeza, numa bem melhor
Sei que quando canto
Você pode me escutar"...

(NXZero - Cedo ou tarde)



O Caminho


(...)"Meu pai disse: - "Boa sorte"
Com a mão no meu ombro
Em seu leito de morte


E disse: - "Marvin, agora é só você
E não vai adiantar
Chorar vai me fazer sofrer
Marvin, a vida é prá valer

Eu fiz o meu melhor

E o seu destino eu sei de cor"...


(Titãs - Marvin)

Literalmente, de "Carne e Osso"



"A alegria do pecado
Às vezes toma conta de mim
E é tão bom não ser divino(a)
Me cobrir de humanidade me fascina
E me aproxima do céu

E eu gosto
De estar na terra
Cada vez mais
Minha boca se abre e espera
O direito ainda que profano
Do mundo ser sempre mais humano

Perfeição demais
Me agita os instintos
Quem se diz muito perfeito
Na certa encontrou um jeito insosso
Pra não ser carne e osso"

(Zélia Duncan)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Robóticos & Tridimensionais




(Imma be rocking that body
)



... "Imma be up in the club
Doin whatever I like
Imma be poppin that bubbly
Cool and livin that good life
Oh let?s make this last forever
Partyin when you?re together..."









(Meet me halfway)



... "Can you meet me halfway, right at the borderline
That's where I'm gonna wait, for you
I'll be lookin' out, night and day
Took my heart to the limit, and this is where I'll stay
I can't go any further than this
I want you so bad it's my only wish..."


E por falar em Ceará Music...



O evento comemora os seus 10 anos, com sucesso de público e de crítica, nos dias 15 e 16 de outubro (2010), não apenas contando com a participação das bandas nacionais e internacionais, mas também, com as bandas locais e de outras regiões. Sim, sim, sim, trata-se de um evento multimusical e democrático - feito para todos os tipos de gostos musicais, do cenário pop e rock.

É válido destacar tais informações:


I) Principais Atrações:


Sexta (15/10):

- Bandas Locais;

- Cine;

- Black Eyed Peas;

- Biquíni Cavadão;

- Atração Coca-Cola Zero;



Sábado (16/10):

- Pitty;

- Los Hermanos;

- Capital Inicial;

- Natiruts;

- Paralamas do Sucesso e os convidados; (Também se unem a eles e voltam para participar do encerramento do festival: Capital Inicial, Pitty, Los Hermanos e Natiruts).



II) Preços Ingressos


- Brazuca (pista): 2º lote - R$ 175,00 (meia);

- Frontstage Burn: 2º lote - R$ 400,00 (meia) (inclui, por dia, oito cervejas três águas/refrigerantes ou seis doses de vodka três águas/refrigerantes ou cinco doses de whisky três águas/ refrigerantes);


Sexta (15/10):


- Pista: RS 159,00;

- Frontstage: R$ 360,00;



Sábado (16/10):


- Pista: R$ 49,00 (2º Lote);

- Frontstage: R$ 160,00 (3° Lote);



III) Pontos de venda


- Lojas Renner - Iguatemi e North Shopping;

- Lojas Ibyte - 13 de maio e Dom Luís;

- Site do Ceará Music: www.cearamusic.com.br


Condições de pagamento:


- Lojas Renner e Ibyte: Dinheiro, Cartão Hipercard (6x - pista, 8x - frontstage), Cartão Visa e Mastercard (4x - pista, 6x - frontstage);

- Internet (Cobrada taxa de 12%): Cartões Vista, Master, Diners, Hipercard e American Express (todos em até 8x) e transferência eletrônica pelos bancos Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Banco Real.



IV) Classificação:
15 anos.

The Black Eyed Peas, eles estão chegando!!!



Confirmadíssimo, Fergie & Cia estão chegando no Brasil para 9 concertos, em 9 cidades brasileiras. Uma delas será aqui, em Fortal City. O grupo The Black Eyed Peas irá participar do Ceará Music, em outubro, dia 15/10/2010, para a comemoração dos 10 anos desse evento musical de sucesso.

- "Nem preciso dizer que a cidade para na época do festival, né?!!!"


Basicamente, a apresentação da banda se baseará em sua tournée oficial "THE E.N.D. WORLD TOUR". Então, vale a pena conferir!!!

- "Quem sabe, a gente não se encontre por lá, né?!!!"

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Curiosidades cearenses no Circo Eleitoral



Mencionar que os humoristas cearenses fazem parte desse circo eleitoral, seja se candidatando ao pleito ou fazendo campanha em favor a um canditado "x" ou "z", já é lugar comum. Mencionar também que os políticos de destaque no cenário político cearense aproveitam dessa oportunidade para apresentar e lançar os seus parentes e apadrinhados, jamais antes vistos ou comentados, na almejada corrida pelo cargo público, também já é lugar comum. Mas, o circo eleitoral cearense não estaria completo se não fosse algumas curiosidades:

A nossa Miss Ceará, deficiente auditiva que ficou em segundo lugar no concurso Miss Brasil em 2008, muito bela por sinal, é candidata ao cargo de deputado estadual pelo Partido Verde. Não se trata de preconceito, mas, se ela for eleita (se for, o eleitorado cearense estará um grande passo de inclusão, assim como o juri a elegeu como miss), como ela irá se comunicar e defender as suas causas?!!! Sim, através de uma interprete/tradutora da língua dos sinais (libras), mas, será que a Câmara dos Deputados estará preparada para interagir com ela?!!! Sinceramente, a sociedade cearense, não sendo diferente as outras da Federação Nacional, não está preparada para lidar com pessoas especiais, independente das deficiências que elas possuem. Em termo de inclusão social dos portadores de deficiências (politicamente correto é nos referirmos como "especialidades"), o Ceará e o Brasil ainda precisam dar largos passos nesta direção. A curiosidade não é a candidatura da mesma, mas, a proposta a ser defendida em sua campanha.

Ah, o nosso governador, Cid Gomes, em showmício (mistura de comício eleitoral com show de bandas de forros e artistas renomados que apoiam a sua candidatura) por esse Ceará afora, defendendo a sua reeleição, ao apresentar para a massa um dos candidados a deputado que ele apoia, o apresentou com o seguinte predicativo: - "Vote nesse "cabra", fulano de tal, eu apoio". Hum, tão polido, não?!!! Recorrendo ao cearês!!!


E o Tiririca?!!! Apresentando os candidatos do DEM, legenda 22: - "Votem nestes candidatos, porquês eles são "homes lindius"!!!" Hum, sei... Que argumentação inteligente vocês não acham?!!! Nem quero imaginar quais são as palhaçadas que ele está usando na sua campanha eleitoral e os argumentos que ele está usando em suas propostas políticas para deputado federal em São Paulo.

Como se não bastasse, um candidado popular à deputado estadual diz: - "Eu não irei fazer promessas, apenas prometo trabalho". Ué, isso por si só já não é uma promessa?!!! Quanta redundância, não é?!!! Agora, campanha eleitoral sem promessas, não é campanha, concorda?!!! rs...

- "Como diria o Macaco Simão: É mole?!!! Mas, sobe!!!" rs...


Quantas celebridades, heim?!!! É ou não um circo eleitoral?!!! A palhaçada é geral: Quem pleiteia o voto e de quem vota na palhaçada!!! Eitaaaaaaaaaaaaa, Circus Brasilis!!!

- "Hoje tem marmelada?!!! Tem sim, sim senhor!!!"

Caso Erenice Guerra



- "Nunca antes, na história desse país..."


Opa, Lulinha!!! Menos, menos... Não vá se complicar na sua justificativa. Desde quando, na história política nesse país, os escândalos políticos são descobertos antes das eleições?!!! E também, os casos de corrupção e prevaricações são novidades no seu governo?!!!

A questão é: Quer conhecer a natureza humana?!!! Dê poder ao homem. Com poder nas mãos, aí sim, ele demonstra a sua real face e intenções. O grande problema da politicagem brasileira chama-se filiação partidária, onde as maçãs podres comprometem todo o cesto. O mal que acomete os políticos honestos (sim, existe, embora uma minoria) é justamente ter que defender e levar nas costas um partido inteiro, onde, muitas vezes, ninguém sabe quem é quem, muitas raposas em pele de cordeiro, e mesmo assim, garantir a fidelidade partidária e a idoneidade daqueles que ele representa.

- "Lulinha, pelo visto, você ainda não aprendeu que o PT tem muitas raposas felpudas, felpudíssimas por sinal, como qualquer outro partido brasileiro."


Porquê será que mais um escândalo político e eleitoral antes das eleições não me choca?!!! Além do costume, isso se deve porque todos os partidos, no final das contas, são todos iguais - tem gente de todo tipo e jeito, dos honestos aos escroques, dos sérios aos oportunistas.

Por isso, por convicção, eu não voto em partidos, mas em políticos que tenham um histórico de realizações, independente das filiações que eles pertençam.

Quanto ao escândalo em questão, a demissão da companheira Erenice é mais do que bem vinda e que seja apurada com vemência e justiça, não acabando em mais uma rodada de pizza.

- "Opa, pizza não!!! Eu estou de dieta e, essa pizza, é bastante indigesta aos interesses de nós, brasileiros. Sem mencionar (já mencionando), dar um jeitinho para a escolha das empresas para projetar e gerenciar serviços públicos é uma prática tão comum, aff!!!"


Agora, vamos esperar para ver como esse escândalo vai repercurtir na campanha da Dilma, uma vez que, até poucos dias atrás, ela estava absoluta em primeiro lugar na corrida presidenciável. O que dizer mais?!!! Deprimente, naturalmente.

Voltando atrás (contra a decisão anterior)


Porquê foi mesmo que eu voltei atrás da "decisão tardia tomada", heim?!!! O que eu esperava quando eu cedi e resolvi dar um passo à caminho da reaproximação?!!! No fundo, no fundo, eu sabia que não daria em nada mesmo, pois, o resultado disso já é mais do que conhecido. Nesse 1 mês de ausência e silêncio, eu não construí sentimentos, mas, ressentimentos - buscava com gana caminhos para me desvencilhar de vez do que eu estava sentindo e de você. Não que eu tenha optado em me ressentir com você, mas, aconteceu como fruto das minhas frustrações.

- "Ao invés de manter-me firme, implacável no rompimento, eu amoleci e deixei o meu coração tomar uma decisão e me contradizer. Foi preciso eu me contradizer para perceber que aconteceu o inevitável: Nos perdemos!!! Diante disso, manter uma amizade agora, bem diferente da inicial, perdeu o duplo sentido (tanto o anterior quanto o de agora)."


Pra quê eu vou manter contato e forçar uma reaproximação e uma amizade com quem me frustra?!!! O insano aqui seria me forçar a essa situação desnecessária e não estar voltando atrás na decisão contrariada. É retroceder no retroceder. Voltamos ao ponto de partida: O rompimento.

E, dessa vez, trata-se de um rompimento definitivo MESMO, pois se antes existia alguma possibilidade de eu vacilar e retroceder, agora, não há mais. Com certeza, é a melhor decisão a ser tomada mesmo: Cada um no seu espaço, com a sua vida, sem laços, vínculos e proximidade.

- "Ter ou não a sua amizade, tornou-se a mesma coisa, algo indiferente: Hoje pra mim tanto faz como tanto fez. Portanto, em ter a sua presença me encomodando (algo tão diferente e oposto do que eu sentia antes), prefiro não tê-la e dar um conforto pra mim mesmo, sem precisar estar armado, em fuga e estressando-me com o que e com quem eu não precisaria me estressar."


No entanto, eu sei que você não é má pessoa (reconheço os seus encantos e as suas qualidades) e nem desejo o seu mau, muito pelo contrário, portanto, seja feliz mas, longe de mim - sem proximidade, sem contato. Eu tenho os meus motivos, por isso, fico com eles e eles por si só me bastam. Enfim, assunto morto, sepultado e enterrado com várias pás de cal para não ter perigo de retorno. Caso, seja necessário um exorcísmo, chamo um padre-exorcista e, de quebra, contrato os serviços do Ghostbusters!!!

- "Vá em direção da luz, Carolline!!!" rs...



"Bye bye baby bye bye
It's your turn to cry
That's why we have to say goodbye
So say goodbye"

sábado, 18 de setembro de 2010

"Plastic Beach", genial



Eu sou fã dos Gorillaz já algum tempo, desde quando eles explodiram no cenário musical com o single Clint Eastwood, diferenciando das demais bandas pelo seu universo virtual, anime e politicamente não tão correto, mas, engajado. Suas músicas sempre apresentam temáticas atuais e a estética anime dos seus vídeos clips são como o vinho, a cada tempo que passa e a cada lançamento, supera-se!!! Sem mensionar a sua musicalidade bastante eclética.

O novo álbum, "Plastic Beach" é genial, traduzindo bem a tendência eclética e engajada da banda e apresentando "Stylo", com a participação especial especial do Bruce Willys, e a participação da Orquestra Nacional Árabe em "White Flag" - Especialissíma!!!

"While Flag" tem um swing maravilhoso, misturando a música árabe (que por si só já tem um swing misterioso e sensual) e as batidas de rap com os rappers Kano & Bashy. Definitivamente é tudo de bom!!! Tem tudo a ver com os meus olhos mediterrâneos!!! Ha ha HA hA!!!

Sente só a vibe:


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Desencantando-me



Cada um e os seus esquemas afetivos. Quando eu começo a ficar indiferente e arredio, hummmm aí tem. São sinais clássicos de que eu estou entrando em processo de desencantamento, expurgando o meu gostar, bem no estilo weberiano mesmo: Desencantamento do mundo, rejeição e indiferença.

Inicialmente, eu não acredito em amizade após rompimento, até porquê, o que era bons sentimentos estão se transformando em ressentimentos. Reflexo da desilusão, do desencanto, dos compartimentos mexidos: Quem mandou brincar com os sentimentos, as expectativas, o orgulho e a vaidade alheia?!!!

- "Se por acaso, você levar alguma patada e não souber porquê?!!! Com certeza, você mexeu com esquemas e lacunas que você desconhece. Seja na física, com a lei da ação e reação", ou na psicologia, com o esquema de estímulo e resposta, subjetivamente a reação/resposta vem, nem que seja a galope."


Assim, ainda não houve o tempo necessário para diluir todo e qualquer sentimento confuso e colocar as idéias no lugar.

Segundo, como se esperar do outro atos de cordialidade e boemia diante do desencanto?!!! Eu não consigo, portanto, não espere de mim gestos de atenção e candura, porquê eu não sou santo e muito menos anjo.

Foi mexer com quem estava quieto, conseguiu despertar a minha ira. I'm sorry, but... Para mim é indiferente se você vai gostar ou não das minhas reações. Sou sincero, seja lhe dando o meu céu, como também, o meu inferno.

- "Mas, pelo que eu posso prever, logo logo, a reaproximação vai ser aniquilada e você terás que voltar para o limbo e integrar o grupo dos banidos - aqueles que foram e nunca mais voltaram a contar com o meu respeito, carinho e consideração e, muito menos, desfrutarem da minha intimidade e convivência".


Quem foi banido sabe do que eu estou falando, nunca mais voltou e nem voltará, além de eu não saber perdoar, eu não costumo dar chances quando o desencanto falou mais alto e, o principal, quando houve a perda de sentido. De antimão, em relação à você, eu posso afirmar que:

1. Não me interessa saber mais as suas motivações, nem aquelas que dizem respeito a mim. Desinteressei-me!!!;

2. Saber sobre a sua vida como antes, com interesse, pra mim se tornou irrelevante. Pra mim tanto faz como tanto fez. Desinteressei-me!!!;

3. Senso de proteção?!!! Caia, se esborrache se preciso for, aprenda a viver. Desinteressei-me!!!;

4. Cativar a amizade?!!! Para mim, até isso perdeu o sentido. Fomos muito além de onde poderíamos ir, acabamos ultrapassando e violando limites que não poderiam ter sido violados. Isso tem um preço. Desinteressei-me!!!;

5. Seu desagravo diante das minhas reações?!!! Indiferente. Dane-se!!! Nem saco para agradar ou fazer a social eu estou. Desinteressei-me!!!

- "As pessoas entram e saem da nossa vida todos os dias, então, ..., adios".


Quando a taça trinca ou quedra, não tem jeito, ela nunca mais será a mesma. É desencanto na certa!!! Diante ao meu desinteresse, com certeza, eu já estou "desencantando-me" em relação à você e não há nada no mundo que possa reverter esse processo, pois, essa conversão de encanto para desencanto é natural.

- "Nunca mais será igual como antes, nos perdemos!!!"

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

A fábula do "O Casamento da Dona Baratinha" e as suas versões


Quem não se lembra da fábula infantil da "Dona Baratinha"?!!!

- "Quem quer se casar com a Dona Baratinha que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha?!!!"


Pois muito que bem, essa fábula é muito pertinente quando se trata da natureza humana e suas facetas, podendo ser interpretada de acordo com várias versões e perspectivas. Você escolhe a sua.

Porém, a saga afetiva de Dona Baratinha não denuncia apenas as futilidades e banalidades que permeiam as nossas relações sociais e afetivas, onde uma boa aparência e uma carteira repleta de verdinhas tornaram-se pré-requisitos essenciais. Se você tem essas duas características, que bom, você tirou a sorte grande, pois, beleza e dote ($$$$) podem ser considerados como atributos de "caráter" (money, money, money) e "personalidade" (de preferência um carro do ano, conversível e importado).

- "Como Dona Baratinha sofreu para arranjar um pretendente. Pelo menos, uma destas duas características ela tinha que ter para conquistar o bonachão Dom Ratão. Desde que o mundo é mundo, o dote sempre fez toda a diferença, sobretudo para os oportunistas e alpinistas sociais, solidificando os casamentos de arranjo, seja entre a realeza ou a burguesia".


Mas, se percebermos bem o drama de Dona Baratinha, ficando viúva antes da lua de mel e no dia do seu casamento, sim, tadinha, ela ficou viúva, virgem, rica e sozinha sem o seu "cobertor de orelha", essa fábula deixa bem evidente os riscos que envolvem os relacionamentos:


I) Os desencontros afetivos


Quantos pretendentes ficaram pelo caminho nessa busca afetiva?!!! Quantas vezes, ela foi preterida por não ser a mais bela ou porquê não se adequou as expectativas e o padrão ideal dos outros?!!! Sim, o inverso também é verdadeiro.

Infelizmente, "para se viver um grande amor é preciso aprender a lidar com os desamores". Concordo com esse pensamento, ipsi literis!!! Talvez ou por conta disso, ter apenas a vontade de se relacionar não é garantia de felicidade a dois, pois, há de se haver um ajuste, uma reciprocidade para que o casal possa caminhar juntos na mesma direção e tendo os seguintes encontros: química sexual, afinidades e cultura, planos em comum e reciprocidade nos sentimentos.

- "Há quem queira burlar esses conectores, mas, sem ele, se paga o preço da infelicidade. No caso da Dona Baratinha ela não teve nem tempo de testá-los, pois, ela estava muito mais interessada em fugir da solidão e arranjar um companheiro para se casar do que se preocupar com isso. Se o Don Ratão não tivesse morrido cozido dentro do panelão de feijoada, talvez, ela descobrisse que sem esses conectivos não daria para manter o seu relacionamento, a não ser que ela fosse muito submissa e apática, pois, eles que justificam a união. Como também, descobrisse que o seu pretendente não era o seu "grande amor". Tem mulheres que são assim mesmo: submissas, dependentes afetivamente do companheiro e com baixa auto-estima."


De toda forma, é preciso saber lidar com os desamores, por mais crueis que eles possam ser.



II) Os desfechos trágicos



Culturalmente, todo mundo é educado afetivamente para encontrar a sua cara-metade, bem aquele amor de comercial de margarina e filmes hollywoodianos, e viver uma história de amor sem fim. Se é possível ou não, "é uma questão de opinião", já diria a filósofa e roqueira Pitty. Independente da minha opinião, seria muito lindo mesmo viver um conto de fadas assim. Pena que a Dona Baratinha conheceu o desfecho trágico no dia do seu casamento.

O fato é que as relações mudam, assim como as pessoas e os seus sentimentos, pois, pensamentos, sentimentos e comportamentos se transformam com o tempo e de acordo com as nossas experiências de vida. Por isso, desfechos trágicos não acontecem apenas com a presença de fatalidades, como por exemplo a morte do noivo no dia do casamento, mas também, com as mudanças dos nossos sentimentos e a desarmonia numa relação.

Ah, quem não aceite a realidade dos fatos e queira insistir em relacionamentos fadados ao fracasso, seja por hábito (por estar vários anos numa mesma relação e já se acostumou com a rotina e o marasmo a dois) ou medo da solidão (há quem faça de tudo, tudo mesmo, até jogar a sua dignidade e amor próprio na sarjeta e no lixo, para se submeter aos caprichos do outro) ou por dependência afetiva (há quem precise de uma muleta afetiva, por ser insuficiente e incapaz de encarar a vida sozinho(a) ou lado a lado com o outro, não ficando nas costas como um peso morto a ser carregado(a), ou porquê não surgiu ninguém interessante para a substituição.

- "Eu conheço tantos casais com esse perfil. Cala-te boca!!!"



Enfim, por detrás dessa ingênua fábula infantil existem nuances importantes da natureza e do comportamento humano. Até que ponto foi não está sendo uma "Dona Baratinha" ou passou por essa fábula em algum momento?!!! Se você encontrar um Dom Ratão no seu caminho, espero que ele não morra precocemente e que os motivos que levaram vocês à união, possam ser pelos motivos que a justificam, sobretudo pautado na reciprocidade de sentimentos.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Stylo by Gorillaz




Virtualmente, criativo, ousado, marginal e "duro de matar"!!!


... "It's love of electric,
It'll be flowing on the streets,
Night after night,
Just to get through the week,
Sometimes it's hard"...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Madrugada frágil e vulcânica



Há muito tempo, eu não me encontrava tão frágil. Assim como um vulcão, adormecido em brasas até o ápice do derradeira explosão. Uma série de sentimentos vieram à tona: saudades, angustias, medo, carência, negações, dúvidas, inquietações ..., todas as minhas passionalidades que eu estou tentando conter e controlar.


Por horas, o meu nome era FRAGILIDADE:



"Um dia frio
Um bom lugar prá ler um livro
E o pensamento lá em você
Eu sem você não vivo
Um dia triste
Toda fragilidade incide
E o pensamento lá em você
E tudo me divide

Longe da felicidade e todas as suas luzes
Te desejo como ao ar
Mais que tudo
És manhã na natureza das flores

Mesmo por toda riqueza dos sheiks árabes
Não te esquecerei um dia
Nem um dia
Espero com a força do pensamento
Recriar a luz que me trará você

E tudo nascerá mais belo
O verde faz do azul com o amarelo
O elo com todas as cores
Pra enfeitar amores gris"¹



A fragilidade de quem gosta e não é correspondido da forma que gostaria ser. E, conscientemente, nunca serei, terei, pelo menos, com a persona em questão.


Por hora, o meu nome era TRANSBORDAMENTO:


"Tem hora que bate
Uma tristeza tão grande
Que eu não sei o que fazer
E nem pra onde ir
É tanta coisa
Que eu queria dizer
Mas não tem ninguém pra ouvir
Então choro sem ninguém ver
Eu choro...

... Choro por tudo
Que a gente não teve
Por tudo que a gente não realizou
Choro porque eu sei que ainda...

... Choro porque eu sei que ainda te quero
Choro por tudo
E por tudo lhe digo

Te espero, te quero
Te espero, te quero..."²


Num momento de raridade, entre secas, o meu rio transbordou... Mas, todo esse transbordamento serviu para reafirmar ainda mais o que eu não quero, o que eu não posso e nem devo fantasiar. Eu não quero me queimar diante das minhas próprias erupções.

- "Chega!!! Já basta as cinzas ao meu redor e as dormências que eu carrego no meu peito."


___________________________
1. Nem um dia by Djavan

2. Choro by Fábio Jr

Meu problema é...


... É um segredo guardado no peito que se chama...



"Meu erro maior eu aceito, eu assumo
Por mais que eu não queira,
Eu só quero você!!!"

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Assim como as aves migratorias



Segundo os cientistas, as aves migratórias partem do Hemisfério Sul para o Norte em busca de alimento e calor, já que as baixas temperaturas e a falta de luminosidade no inverno dificultam a sobrevivência do bando. No outono, elas migram de volta o seu ponto de partida para acasalarem.

Se não fosse a minha pré-disposição natural para migrar para o sul e sudeste, já que aqui em cima do mapa não me favorece em nada, nada mesmo, ainda surge na minha vida essa revoada sulista para tirar o meu juízo, literalmente. Se já não me bastasse o RS, pertubando-me duplamente (uma já superada, outra a caminho (?)), ultimamente, SC e PR entram em cena para acasalarem-se comigo. Eu posso com isso?!!!

- "Bah, eu não dou conta disso e nem tenho planos para migrar para o Sul para acasalar, assim como, as aves migratórias. Embora, não me faltasse vontade."

Ah, NÃO: Tudo menos essa equação!!!



A última vez que eu senti o que eu estou sentido, foi há quase 4 anos atrás (E deu no que deu, sem arrependimentos!!!), cumprindo a minha matemática afetiva: "Por incrível que pareça, eu só me apaixono de 4 em 4 anos, como já comentei em outras oportunidades. Não é que eu escolha ou planeje isso, mas, a vida vem me colocando nessa matemática desde que eu me entendo por gente".

Mas, eu estou fazendo de tudo para cabular essa aula, driblar essa matemática e não entrar no vácuo sozinho. Essa equação é muito mais complexa do que qualquer um possa supô-la e é mesmo, por não ter um resultado exato, tornando o cálculo muito mais complexo, sem variável. Não dá nem para tirar a "prova dos 9".

É preciso negar, fugir, sublimar, ignorar, ..., caso contrário, essa matemática irá se cumprir e eu sou péssimo nesse tipo de cálculo, ainda mais sem aulas presenciais!!!

- "Ah, não: Tudo menos essa equação!!!"


"As lágrimas não reparam os erros!!!"

The Verve - Bitter Sweet Symphony (with lyrics)

♫ Pitty - Na sua estante

"Eu não ficaria bem na sua estante..."